Servidores alertam Inep sobre alteração indevida no gabarito do Enem

Duas questões sobre racismo abordadas no Enem 2020 tiveram as respostas corretas alteradas no gabarito divulgado pelo Inep, que ignorou o alerta e só corrigiu o gabarito da prova um dia após a divulgação

O Enem teve respostas alteradas indevidamente após a divulgação dos resultados
O Enem teve respostas alteradas indevidamente após a divulgação dos resultados (Foto: Rovena Rosa - Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), órgão responsável pela realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), foi alertado por servidores que o gabarito da prova deste ano sofreu alteração indevida após a sua elaboração. A informação foi publicada pelo jornal Folha de S.Paulo.

Duas questões sobre racismo abordadas no Enem 2020 tiveram as respostas corretas alteradas no gabarito divulgado pelo órgão, que ignorou o alerta e só corrigiu o gabarito da prova um dia após a divulgação.

Depois da mudança, uma das questões apontava como correta a alternativa que considerava a decisão de uma mulher negra de não querer alisar os cabelos como uma "postura de imaturidade". O questionamento foi elaborado tendo como resposta certa a que identificava o comportamento da mulher como "atitude de resistência".

Outra questão apontava que discriminação racial em sistemas de inteligência artificial, como buscas do Google, estaria relacionado à linguagem. A pergunta original da prova apontava a resposta certa como sendo o preconceito.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email