Servidores de Palmas ameaçam parar durante Jogos Indígenas

Com faixas e cartazes, o grupo formado por cerca de 50 profissionais de enfermagem, farmacêuticos, cirurgiões dentistas, agentes comunitários de saúde, agentes de endemias e guardas metropolitanos reivindicava a criação de planos de cargo, carreiras e salários, equiparação salarial, progressões, direito a férias e adicional de insalubridade; um documento com as reivindicações de todas as categorias foi protocolado na prefeitura de Palmas e segundo os manifestantes, se não houver diálogo uma greve poderá ser deflagrada durante os Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, que começam no dia 23 de outubro

Com faixas e cartazes, o grupo formado por cerca de 50 profissionais de enfermagem, farmacêuticos, cirurgiões dentistas, agentes comunitários de saúde, agentes de endemias e guardas metropolitanos reivindicava a criação de planos de cargo, carreiras e salários, equiparação salarial, progressões, direito a férias e adicional de insalubridade; um documento com as reivindicações de todas as categorias foi protocolado na prefeitura de Palmas e segundo os manifestantes, se não houver diálogo uma greve poderá ser deflagrada durante os Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, que começam no dia 23 de outubro
Com faixas e cartazes, o grupo formado por cerca de 50 profissionais de enfermagem, farmacêuticos, cirurgiões dentistas, agentes comunitários de saúde, agentes de endemias e guardas metropolitanos reivindicava a criação de planos de cargo, carreiras e salários, equiparação salarial, progressões, direito a férias e adicional de insalubridade; um documento com as reivindicações de todas as categorias foi protocolado na prefeitura de Palmas e segundo os manifestantes, se não houver diálogo uma greve poderá ser deflagrada durante os Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, que começam no dia 23 de outubro (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Tocantins 247 - Servidores públicos de Palmas realizaram na manhã desta segunda-feira, 28, um protesto em frente à prefeitura da Capital, na avenida JK.

Com faixas e cartazes, o grupo formado por cerca de 50 profissionais de enfermagem, farmacêuticos, cirurgiões dentistas, agentes comunitários de saúde, agentes de endemias e guardas metropolitanos reivindicava a criação de planos de cargo, carreiras e salários, equiparação salarial, progressões, direito a férias, adicional de insalubridade. 

Um documento com as reivindicações de todas as categorias foi protocolado na prefeitura de Palmas e segundo os manifestantes, se não houver diálogo uma greve poderá ser deflagrada durante os Jogos Mundiais dos Povos Indígenas.

Segundo o presidente do Sindicato dos Profissionais de Enfermagem do Tocantins (Seet), Claudean Pereira Lima, novas mobilizações estão previstas para os próximos dias. "Nossa intenção é mostrar à gestão e à comunidade que não estamos satisfeitos com a situação e queremos melhorias para nossas carreiras", afirmou, segundo o T1 Notícias (leia aqui).

Em nota, a Prefeitura de Palmas informou que a queda nos repasses à Capital motivou a adoção de contenção de despesas. A gestão do prefeito Carlos Amastha (PSB) disse ainda as medidas de redução de custos visam garantir o pagamento dos salários em dia e 13º, sem ultrapassar o limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal. A Prefeitura ressaltou que acredita que o momento seja passageiro e que a partir de janeiro a situação se normalize.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247