Servidores do HU da UFPI deflagram greve por tempo indeterminado

Os servidores do Hospital Universitário (HU) da Universidade Federal do Piauí (UFPI) deflagraram greve por tempo indeterminado; o atendimento ao público foi prejudicado e apenas 30% dos profissionais exercem os serviços essenciais; a greve é nacional e atinge 14 hospitais que são de responsabilidade da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh); o movimento grevista foi declarado após a empresa Ebserh não atender as reivindicações da categoria como o reajuste salarial, o pagamento do adicional de insalubridade e do auxílio-alimentação; relato do Piauí Hoje

Os servidores do Hospital Universitário (HU) da Universidade Federal do Piauí (UFPI) deflagraram greve por tempo indeterminado; o atendimento ao público foi prejudicado e apenas 30% dos profissionais exercem os serviços essenciais; a greve é nacional e atinge 14 hospitais que são de responsabilidade da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh); o movimento grevista foi declarado após a empresa Ebserh não atender as reivindicações da categoria como o reajuste salarial, o pagamento do adicional de insalubridade e do auxílio-alimentação; relato do Piauí Hoje
Os servidores do Hospital Universitário (HU) da Universidade Federal do Piauí (UFPI) deflagraram greve por tempo indeterminado; o atendimento ao público foi prejudicado e apenas 30% dos profissionais exercem os serviços essenciais; a greve é nacional e atinge 14 hospitais que são de responsabilidade da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh); o movimento grevista foi declarado após a empresa Ebserh não atender as reivindicações da categoria como o reajuste salarial, o pagamento do adicional de insalubridade e do auxílio-alimentação; relato do Piauí Hoje (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Piauí Hoje - Os servidores do Hospital Universitário (HU) da Universidade Federal do Piauí (UFPI) deflagraram greve por tempo indeterminado nesta terça-feira (19). O atendimento ao público foi prejudicado e apenas 30% dos profissionais exercem os serviços essenciais. A greve é nacional e atinge 14 hospitais que são de responsabilidade da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh).

O movimento grevista foi declarado após a empresa Ebserh não atender as reivindicações da categoria como o reajuste salarial, o pagamento do adicional de insalubridade e do auxílio-alimentação.

Em nota, o HU informou que o atendimento ambulatorial à população será mantido, mas alguns procedimentos poderão ser adiados. Já os pacientes com consultas, exames e cirurgias, deverão aguardar o término do movimento para serem atendidos no próprio HU, ou se preferirem, poderão comparecer a um serviço do gestor do Serviço Único de Saúde (SUS) para fazer o reagendamento em outros centros de saúde.

Nota de esclarecimento

Brasília, 18 de setembro de 2017 – O Hospital Universitário da Universidade Federal do Piauí (HU-UFPI), vinculado à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), foi notificado da decretação de greve a partir do dia 19 do corrente mês. Diante dessa decisão, a Ebserh recorreu à Justiça do Trabalho para garantir a prestação dos serviços à população, mas continua negociando com os empregados.

A instituição continua na direção de modernizar a gestão dos hospitais universitários federais (HUFs), preservando e reforçando o papel estratégico desempenhado por esses centros de formação de profissionais na área da saúde e de prestação de assistência à saúde da população.

Esse esforço pode ser percebido no decorrer desse ano, quando a Ebserh convocou 3.784 concursados para os 39 HUFs da sua rede, cumprindo o compromisso assumido de chamar todos os aprovados dentro do número de vagas previsto.

A instituição acredita no bom senso da categoria para que os serviços prestados à sociedade não sejam afetados.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247