Servidores do Incra fazem ato contra nomeação de filho de Paulinho

Trabalhadores chegaram a votar em uma lista de funcionários mais capacitados para ocupar a chefia do Incra em São Paulo, mas o deputado estadual Alexandre Pereira (SD-SP), que não tem qualquer ligação com a área da agricultura, foi nomeado nesta segunda-feira pelo presidente interino, Michel Temer; peemedebista cedeu à pressão de Paulinho da Força, pai do deputado, mesmo depois da promessa de que só faria indicações técnicas para órgãos públicos

Trabalhadores chegaram a votar em uma lista de funcionários mais capacitados para ocupar a chefia do Incra em São Paulo, mas o deputado estadual Alexandre Pereira (SD-SP), que não tem qualquer ligação com a área da agricultura, foi nomeado nesta segunda-feira pelo presidente interino, Michel Temer; peemedebista cedeu à pressão de Paulinho da Força, pai do deputado, mesmo depois da promessa de que só faria indicações técnicas para órgãos públicos
Trabalhadores chegaram a votar em uma lista de funcionários mais capacitados para ocupar a chefia do Incra em São Paulo, mas o deputado estadual Alexandre Pereira (SD-SP), que não tem qualquer ligação com a área da agricultura, foi nomeado nesta segunda-feira pelo presidente interino, Michel Temer; peemedebista cedeu à pressão de Paulinho da Força, pai do deputado, mesmo depois da promessa de que só faria indicações técnicas para órgãos públicos (Foto: Gisele Federicce)

Fernanda Cruz – Repórter da Agência Brasil

Um grupo de servidores do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) na capital paulista faz ato contra a nomeação de Alexandre Pereira da Silva para superintendente regional em São Paulo. Ele é filho do deputado federal Paulinho da Força (SD).

O ato, na sede do Incra, localizada na rua Doutor Brasílio Machado, região de Santa Cecília, não prejudicou o atendimento ao público. Sônia da Silva Rodrigues, diretora do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Federal no Estado de São Paulo (Sindisef), disse que os trabalhadores votaram em uma lista de funcionários mais capacitados para ocupar o cargo de superintendente.

"Não temos nada contra a pessoa do Alexandre Pereira. Se ele tivesse experiência na área da reforma agrária, na questão fundiária do estado, não teríamos nada a dizer. A gente acredita que existem outras pessoas na sociedade aptas a fazer a gestão das políticas públicas voltadas à questão agrária", disse.

Além da lista tríplice, os servidores reivindicam o respeito a uma plataforma mínima de gestão elaborada por eles. "O aparelhamento é muito comum aqui, e não importa o partido. Todo partido faz loteamento político na máquina pública. A falta de experiência de outras superintendências levou a contratos não executados da melhor maneira possível para atender o bem público", disse.

A assessoria de Alexandre Pereira da Silva declarou que as manifestações que ocorrem em todo o país com a mudança do governo eram esperadas e são um direito legítimo. Alexandre Pereira é deputado estadual em São Paulo e é secretário-geral estadual do Solidariedade (SD).

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247