SES descarta circulação do vírus de febre amarela em Pernambuco

Embora tenha sido confirmado o primeiro caso de febre amarela em Pernambuco, a Secretaria de Saúde do Estado (SES) descarta a existência da circulação do vírus no estado. Segundo a SES, o morador de Bezerros que teve a doença confirmada, adquiriu o vírus em São Paulo. O paciente recebeu alta médica no dia 29 de janeiro. A Secretaria de Saúde informou ainda que a partir da próxima semana, o próprio Laboratório Central de Pernambuco (Lacen-PE) vai começar a realizar os exames sorológicos para a febre amarela, diminuindo o tempo de espera pelos resultados    

Mosquito Aedes aegypti, responsável pela transmissão dos vírus da dengue, febre chikungunya e Zika
Mosquito Aedes aegypti, responsável pela transmissão dos vírus da dengue, febre chikungunya e Zika (Foto: Fatima 247)

Pernambuco 247 - Embora tenha sido confirmado o primeiro caso de febre amarela em Pernambuco, a Secretaria de Saúde do Estado (SES) descarta a existência da circulação do vírus no estado. Segundo a SES, o morador de Bezerros que teve a doença confirmada, adquiriu o vírus em São Paulo. O paciente recebeu alta médica no dia 29 de janeiro, encontra-se bem e fora do período de viremia (sem o vírus no organismo).

A Secretaria de Saúde informou ainda que a partir da próxima semana, o Laboratório Central de Pernambuco (Lacen-PE) vai começar a realizar os exames sorológicos (IgM) para a febre amarela e eventuais casos suspeitos não precisarão ser encaminhadas para os laboratórios nacionais de referência, diminuindo o tempo de espera pelos resultados.  

Ainda de acordo com a secretaria, desde fevereiro de 2017 o estado vem realizando o monitoramento permanente de adoecimento ou morte de primatas não-humanos. Até o momento, não há nenhum indicativo para circulação do vírus da febre amarela em Pernambuco. Esse monitoramento é a principal forma de vigilância da doença, conforme os protocolos da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde (MS), já que as mortes de primatas são os principais sinalizadores (eventos sentinelas) da circulação local do vírus e, consequentemente, da possibilidade de casos em humanos. 

 
Com informações do Diário de Pernambuco

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247