Sesau suspende alimentação de alunos de medicina da UFT

A Secretaria de Estado da Saúde enviou ofício à Reitora da Universidade Federal do Tocantins (UFT) informando a suspensão do fornecimento de alimentação aos estudantes de medicina que participam do Internato Médico Interinstitucional nos hospitais públicos do Estado; no documento, o executivo diz que a medida tem de ser colocada em prática por conta do atual cenário econômico ­financeiro do País e do Estado, “especialmente quanto ao contingenciamento de recursos”; a Sesau também apontou o custo das refeições e o problema com a empresa que cuida da alimentação nos hospitais

A Secretaria de Estado da Saúde enviou ofício à Reitora da Universidade Federal do Tocantins (UFT) informando a suspensão do fornecimento de alimentação aos estudantes de medicina que participam do Internato Médico Interinstitucional nos hospitais públicos do Estado; no documento, o executivo diz que a medida tem de ser colocada em prática por conta do atual cenário econômico ­financeiro do País e do Estado, “especialmente quanto ao contingenciamento de recursos”; a Sesau também apontou o custo das refeições e o problema com a empresa que cuida da alimentação nos hospitais
A Secretaria de Estado da Saúde enviou ofício à Reitora da Universidade Federal do Tocantins (UFT) informando a suspensão do fornecimento de alimentação aos estudantes de medicina que participam do Internato Médico Interinstitucional nos hospitais públicos do Estado; no documento, o executivo diz que a medida tem de ser colocada em prática por conta do atual cenário econômico ­financeiro do País e do Estado, “especialmente quanto ao contingenciamento de recursos”; a Sesau também apontou o custo das refeições e o problema com a empresa que cuida da alimentação nos hospitais (Foto: Leonardo Lucena)

Tocantins 247 - A Secretaria de Estado da Saúde enviou ofício à Reitora da Universidade Federal do Tocantins (UFT) informando a suspensão do fornecimento de alimentação aos estudantes de medicina que participam do Internato Médico Interinstitucional nos hospitais públicos do Estado. No documento, o executivo diz que a medida tem de ser colocada em prática por conta do atual cenário econômico ­financeiro do País e do Estado, “especialmente quanto ao contingenciamento de recursos”.

A Sesau também apontou o custo das refeições e o problema com a empresa que cuida da alimentação nos hospitais. “Considerando que o fornecimento de alimentação aos internos onera significativamente os cofres públicos (...) Considerando a situação do Estado com as interrupções dos serviços prestados pela empresa responsável pelos serviços de produção e distribuição de alimentação e nutrição hospitalar, causou desestruturas e transtorno nas unidades de saúde”, afirma.

Em nota enviada ao T1 Notícias, a Secretaria de Estado da Saúde informou que “reforça a importância dos internos para a Saúde do Tocantins e esclarece que a suspensão no fornecimento de alimentação foi necessária tendo em vista o contingenciamento de recursos que a Secretaria tem sido obrigada a fazer diante da crise financeira do Brasil e do Estado, o que obriga a medidas de austeridade".

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247