Sindicatos rejeitam proposta de pagamento de data-base em Palmas

A Prefeitura de Palmas apresentou proposta de pagamento da data­base dos servidores públicos municipais a partir de julho de 2017, mas não formalizou o parcelamento do retroativo de janeiro a junho; de acordo com o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Palmas (Sisemp), não houve um “cuidado” da gestão em apresentar uma proposta consolidada, com apresentação de números e regras claras para o pagamento do retroativo

A Prefeitura de Palmas apresentou proposta de pagamento da data­base dos servidores públicos municipais a partir de julho de 2017, mas não formalizou o parcelamento do retroativo de janeiro a junho; de acordo com o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Palmas (Sisemp), não houve um “cuidado” da gestão em apresentar uma proposta consolidada, com apresentação de números e regras claras para o pagamento do retroativo
A Prefeitura de Palmas apresentou proposta de pagamento da data­base dos servidores públicos municipais a partir de julho de 2017, mas não formalizou o parcelamento do retroativo de janeiro a junho; de acordo com o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Palmas (Sisemp), não houve um “cuidado” da gestão em apresentar uma proposta consolidada, com apresentação de números e regras claras para o pagamento do retroativo (Foto: Leonardo Lucena)

Tocantins 247 - A Prefeitura de Palmas apresentou proposta de pagamento da data­base dos servidores públicos municipais a partir de julho de 2017, mas não formalizou o parcelamento do retroativo de janeiro a junho. De acordo com o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Palmas (Sisemp), não houve um “cuidado” da gestão em apresentar uma proposta consolidada, com apresentação de números e regras claras para o pagamento do retroativo.

Sindicatos apresentaram contraproposta que deve ser analisada pelo governo até nova reunião no próximo dia 19. “Da forma em que a gestão apresentou a proposta ficou parecendo que o objetivo era ganhar tempo com uma proposta um tanto genérica”, afirmou presidente do Sisemp, Heguel Albuquerque. O relato foi publicado no Conexão Tocantins.

Para o Sisemp e demais sindicatos presentes, apenas o pagamento da data­base em julho, sem definição do pagamento do retroativo e das progressões em atraso, não é uma proposta plausível e aceitável.

Os sindicalistas apresentaram contraproposta para que a prefeitura pague a data­base integralmente em julho no percentual de 6,58%, negocie o pagamento do retroativo para o segundo semestre, e liquide neste semestre o pagamento das progressões em atraso, com a definição de critérios claros e estabelecimento de datas para o pagamento.

Participaram da reunião da Câmara de RH, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Tocantins (Sintet), Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado do Tocantins, Sindicato dos Profissionais da Enfermagem do Estado Tocantins e Sindicato dos Engenheiros, Arquitetos e Geólogos do Estado do Tocantins (Segeato).

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247