Sindigoiânia ameaça parar a prefeitura caso salário seja parcelado

Circula nos bastidores do Paço Municipal o boato de que a prefeitura de Goiânia pode começar a parcelar o pagamento do salário dos servidores; o Sindigoiânia não recebeu nada bem esta possibilidade; o vereador Romário Policarpo, que comanda o sindicato, disse ao Jornal Opção que o Sindigoiânia vai "parar a prefeitura" se o parcelamento vigorar; “A prefeitura tem dinheiro para fazer mutirões. Então, tem que ter dinheiro para pagar os trabalhadores também”

Circula nos bastidores do Paço Municipal o boato de que a prefeitura de Goiânia pode começar a parcelar o pagamento do salário dos servidores; o Sindigoiânia não recebeu nada bem esta possibilidade; o vereador Romário Policarpo, que comanda o sindicato, disse ao Jornal Opção que o Sindigoiânia vai "parar a prefeitura" se o parcelamento vigorar; “A prefeitura tem dinheiro para fazer mutirões. Então, tem que ter dinheiro para pagar os trabalhadores também”
Circula nos bastidores do Paço Municipal o boato de que a prefeitura de Goiânia pode começar a parcelar o pagamento do salário dos servidores; o Sindigoiânia não recebeu nada bem esta possibilidade; o vereador Romário Policarpo, que comanda o sindicato, disse ao Jornal Opção que o Sindigoiânia vai "parar a prefeitura" se o parcelamento vigorar; “A prefeitura tem dinheiro para fazer mutirões. Então, tem que ter dinheiro para pagar os trabalhadores também” (Foto: José Barbacena)

Goiás 247 - Circula nos bastidores do Paço Municipal o boato de que a prefeitura de Goiânia pode começar a parcelar o pagamento do salário dos servidores. O Sindigoiânia não recebeu nada bem esta possibilidade. O vereador Romário Policarpo, que comanda o sindicato, disse ao Jornal Opção que o Sindigoiânia vai "parar a prefeitura" se o parcelamento vigorar.

“Onde há fumaça há fogo. Assim como há meses atrás, a gente discutia que não pagariam mais no mês trabalhado, mas acabou acontecendo. E assim como tempos atrás se discutia a possibilidade do não pagamento da data base e aconteceu. Agora mais isso. Ninguém confirma, mas preocupa, porque tudo que foi ‘conversado’, até o momento, acabou acontecendo”, disse o vereador.

Desta vez, no entanto, Policarpo garante que a entidade, a maior representante do funcionalismo público da capital, não aceitará o parcelamento e sinaliza, até mesmo, para um indicativo de greve. O vereador assevera que entende o momento de crise a financeira pela qual passa a prefeitura, mas lembra que a pena está recaindo apenas sobre os ombros dos servidores municipais.

“A prefeitura tem dinheiro para fazer mutirões. Então, tem que ter dinheiro para pagar os trabalhadores também”, finalizou.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247