Sindigoiânia ameaça parar a prefeitura caso salário seja parcelado

Circula nos bastidores do Paço Municipal o boato de que a prefeitura de Goiânia pode começar a parcelar o pagamento do salário dos servidores; o Sindigoiânia não recebeu nada bem esta possibilidade; o vereador Romário Policarpo, que comanda o sindicato, disse ao Jornal Opção que o Sindigoiânia vai "parar a prefeitura" se o parcelamento vigorar; “A prefeitura tem dinheiro para fazer mutirões. Então, tem que ter dinheiro para pagar os trabalhadores também”

Circula nos bastidores do Paço Municipal o boato de que a prefeitura de Goiânia pode começar a parcelar o pagamento do salário dos servidores; o Sindigoiânia não recebeu nada bem esta possibilidade; o vereador Romário Policarpo, que comanda o sindicato, disse ao Jornal Opção que o Sindigoiânia vai "parar a prefeitura" se o parcelamento vigorar; “A prefeitura tem dinheiro para fazer mutirões. Então, tem que ter dinheiro para pagar os trabalhadores também”
Circula nos bastidores do Paço Municipal o boato de que a prefeitura de Goiânia pode começar a parcelar o pagamento do salário dos servidores; o Sindigoiânia não recebeu nada bem esta possibilidade; o vereador Romário Policarpo, que comanda o sindicato, disse ao Jornal Opção que o Sindigoiânia vai "parar a prefeitura" se o parcelamento vigorar; “A prefeitura tem dinheiro para fazer mutirões. Então, tem que ter dinheiro para pagar os trabalhadores também” (Foto: José Barbacena)

Goiás 247 - Circula nos bastidores do Paço Municipal o boato de que a prefeitura de Goiânia pode começar a parcelar o pagamento do salário dos servidores. O Sindigoiânia não recebeu nada bem esta possibilidade. O vereador Romário Policarpo, que comanda o sindicato, disse ao Jornal Opção que o Sindigoiânia vai "parar a prefeitura" se o parcelamento vigorar.

“Onde há fumaça há fogo. Assim como há meses atrás, a gente discutia que não pagariam mais no mês trabalhado, mas acabou acontecendo. E assim como tempos atrás se discutia a possibilidade do não pagamento da data base e aconteceu. Agora mais isso. Ninguém confirma, mas preocupa, porque tudo que foi ‘conversado’, até o momento, acabou acontecendo”, disse o vereador.

Desta vez, no entanto, Policarpo garante que a entidade, a maior representante do funcionalismo público da capital, não aceitará o parcelamento e sinaliza, até mesmo, para um indicativo de greve. O vereador assevera que entende o momento de crise a financeira pela qual passa a prefeitura, mas lembra que a pena está recaindo apenas sobre os ombros dos servidores municipais.

“A prefeitura tem dinheiro para fazer mutirões. Então, tem que ter dinheiro para pagar os trabalhadores também”, finalizou.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247