Skaf pode ser tornar inelegível por abuso de poder econômico

Opinião é do advogado Dyogo Crosara, especialista em legislação eleitoral; segundo ele, Skaf está sujeito à ação por abuso de poder, "com risco de inelegibilidade ou cassação de futuro diploma"; presidente da Fiesp, que é pré-candidato ao governo de São Paulo, já gastou R$ 16 milhões do Sistema S em promoção pessoal e chegou a contratar até o marqueteiro Duda Mendonça; tendência é que a candidatura morra na praia por afrontar a lei

Opinião é do advogado Dyogo Crosara, especialista em legislação eleitoral; segundo ele, Skaf está sujeito à ação por abuso de poder, "com risco de inelegibilidade ou cassação de futuro diploma"; presidente da Fiesp, que é pré-candidato ao governo de São Paulo, já gastou R$ 16 milhões do Sistema S em promoção pessoal e chegou a contratar até o marqueteiro Duda Mendonça; tendência é que a candidatura morra na praia por afrontar a lei
Opinião é do advogado Dyogo Crosara, especialista em legislação eleitoral; segundo ele, Skaf está sujeito à ação por abuso de poder, "com risco de inelegibilidade ou cassação de futuro diploma"; presidente da Fiesp, que é pré-candidato ao governo de São Paulo, já gastou R$ 16 milhões do Sistema S em promoção pessoal e chegou a contratar até o marqueteiro Duda Mendonça; tendência é que a candidatura morra na praia por afrontar a lei (Foto: Leonardo Attuch)

247 - A cada dia, torna-se mais remota a possibilidade de que Paulo Skaf, presidente da Fiesp, leve até o fim sua candidatura ao governo de São Paulo. Agora, é um advogado especializado em Justiça Eleitoral, Dyogo Crosara, quem o acusa de abuso de poder econômico em sua pré-campanha paga com recursos do Sistema S. Segundo Crosara, Skaf está sujeito à ação por abuso de poder, com risco de inelegibilidade ou cassação de futuro diploma.

Leia, abaixo, informação publicada no Diário do Poder:

SKAF ANTECIPA SUA CAMPANHA, AFIRMA ESPECIALISTA

Para o advogado eleitoralista Dyogo Crosara, é evidente a campanha antecipada do presidente da Federação das Indústrias (Fiesp), Paulo Skaf, ao governo paulista. Propagandas que “enaltecem uma figura pública” são passíveis de multa, mesmo que sem referência à eleição, alerta o advogado, para quem Skaf está sujeito à ação por abuso de poder, com risco de inelegibilidade ou cassação de futuro diploma.

DISSIMULADO

A estratégia de Skaf de enfiar na cabeça do eleitor que ele é melhor que os outros é “dissimulada” e vedada pelo código eleitoral brasileiro.

SEM DESCULPA

O advogado lembra que não adianta se esconder sob alcunha de pré-candidato, pois a propaganda antecipada é “punível a qualquer tempo”.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247