Sonegação fiscal das bandas de forró está estimada em R$ 167 milhões

A informação foi divulgada hoje em matéria do jornal "Diário do Nordeste", que informou ter tido acesso à decisão judicial que autorizou a operação For All, realizada em outubro de 2016, envolvendo sócios de bandas de forró, casas de show, emissoras de rádio e outras empresas ligadas a A3 Entretenimento; o processo tramita sob sigilo

A informação foi divulgada hoje em matéria do jornal "Diário do Nordeste", que informou ter tido acesso à decisão judicial que autorizou a operação For All, realizada em outubro de 2016, envolvendo sócios de bandas de forró, casas de show, emissoras de rádio e outras empresas ligadas a A3 Entretenimento; o processo tramita sob sigilo
A informação foi divulgada hoje em matéria do jornal "Diário do Nordeste", que informou ter tido acesso à decisão judicial que autorizou a operação For All, realizada em outubro de 2016, envolvendo sócios de bandas de forró, casas de show, emissoras de rádio e outras empresas ligadas a A3 Entretenimento; o processo tramita sob sigilo (Foto: Fatima 247)

Foi divulgado hoje, em matéria do jornal "Diário do Nordeste" que a sonegação fiscal das bandas de forró ligadas a empresa A3 Entretenimento está estimada em R$ 167 milhões. Segundo o jornal, que informou ter tido acesso à decisão judicial que autorizou a operação For All, realizada em outubro de 2016, sócios de bandas de forró, casas de show, emissoras de rádio e outras empresas ligadas a A3 podem ter apresentado declarações falsas ao Imposto de Renda, no período entre 2012 e 2014. O processo tramita na justiça sob sigilo.

De acordo com o documento obtido pelo jornal, 32 pessoas estão sendo investigadas, entre elas os empresários Antonio Isaias Pava Duarte, Zequinha Aristides, Carlos Aristides Almeida Pereira e os cantores Solange Almeida Pereira, Alexandre da Silva Filho (Xande) e José Raymundo de Lima ( Zé Cantor).

Confira a matéria completa no Diário do Nordeste

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247