Stoppa: por que ninguém prende o dono do helicóptero?

Apresentador do programa "Leo ao quadrado" na TV 247, Leonardo Stoppa, criticou a intervenção militar no Rio de Janeiro e disse que a medida será inócua; "Você acaba com o tráfico no Brasil não entrando numa favela e metralhando crianças que traficam, porque elas chegaram esta condição, porque a gente tem políticos que usam helicópteros e outros equipamentos de altíssimo nível para trazer pasta base para dentro do Brasil", disse ele; Stoppa se referiu ao caso conhecido como Helicoca, quando a Polícia Federal apreendeu 450 kg de pasta-base de cocaína dentro de um helicóptero que pertencia à Limeira Agropecuária, empresa do deputado estadual por Minas Gerais Gustavo Perrella (SDD), filho do senador e ex-presidente do Cruzeiro Zezé Perrella (PTB-MG)

Apresentador do programa "Leo ao quadrado" na TV 247, Leonardo Stoppa, criticou a intervenção militar no Rio de Janeiro e disse que a medida será inócua; "Você acaba com o tráfico no Brasil não entrando numa favela e metralhando crianças que traficam, porque elas chegaram esta condição, porque a gente tem políticos que usam helicópteros e outros equipamentos de altíssimo nível para trazer pasta base para dentro do Brasil", disse ele; Stoppa se referiu ao caso conhecido como Helicoca, quando a Polícia Federal apreendeu 450 kg de pasta-base de cocaína dentro de um helicóptero que pertencia à Limeira Agropecuária, empresa do deputado estadual por Minas Gerais Gustavo Perrella (SDD), filho do senador e ex-presidente do Cruzeiro Zezé Perrella (PTB-MG)
Apresentador do programa "Leo ao quadrado" na TV 247, Leonardo Stoppa, criticou a intervenção militar no Rio de Janeiro e disse que a medida será inócua; "Você acaba com o tráfico no Brasil não entrando numa favela e metralhando crianças que traficam, porque elas chegaram esta condição, porque a gente tem políticos que usam helicópteros e outros equipamentos de altíssimo nível para trazer pasta base para dentro do Brasil", disse ele; Stoppa se referiu ao caso conhecido como Helicoca, quando a Polícia Federal apreendeu 450 kg de pasta-base de cocaína dentro de um helicóptero que pertencia à Limeira Agropecuária, empresa do deputado estadual por Minas Gerais Gustavo Perrella (SDD), filho do senador e ex-presidente do Cruzeiro Zezé Perrella (PTB-MG) (Foto: Aquiles Lins)

247 - O jornalista Leonardo Stoppa, apresentador do programa "Leo ao quadrado" na TV 247, criticou a intervenção militar na Segurança Pública do Rio de Janeiro. 

Ao comentar sobre a guerra ao tráfico de drogas e de armas que o Exército enfrentará nas favelas cariocas, Stoppa disse que a medida será inócua. "Você acaba com o tráfico no Brasil não entrando numa favela e metralhando crianças que traficam, porque elas chegaram esta condição, porque a gente tem políticos que usam helicópteros e outros equipamentos de altíssimo nível para trazer pasta base para dentro do Brasil", disse ele.  

Stoppa se referiu ao conhecido como Helicoca, quando em 24 de novembro de 2013, a Polícia Federal fez a apreensão de 450 kg dentro de um helicóptero perto da cidade de Afonso Cláudio, no interior do Espírito Santo. A aeronave pertencia à Limeira Agropecuária, empresa do deputado estadual por Minas Gerais Gustavo Perrella (SDD), filho do senador e ex-presidente do Cruzeiro Zezé Perrella (PTB-MG).

"Seria muito se as forças armadas foi utilizadas para evitar o tráfico internacional de drogas, para evitar que o tráfico nascesse nas favelas, porque eu nunca ouvi a gente tivesse refinaria de cocaína nas favelas, plantação de maconha nas favelas. Isso chega às favelas de alguma forma", disse Stoppa. 

Inscreva-se na TV 247 e assista a trecho do programa Leo ao quadrado:

 

Leia reportagem da Agência Brasil sobre a intervenção no Rio de Janeiro:

Decreto sobre intervenção federal no Rio de Janeiro chega ao Senado

Foi protocolado no Senado, na manhã de hoje (20), o projeto de decreto legislativo (PDC 88/18), que trata da intervenção na segurança pública do Estado do Rio de Janeiro. A matéria foi aprovada por 340 votos favoráveis, 72 contrários e uma abstenção nesta madrugada pela Câmara dos Deputados. A sessão que vai analisar a proposta no Senado foi convocada para as 18h.

O decreto terá impacto na tramitação de propostas de emenda à Constituição (PECs), que, segundo já adiantou o presidente do Senado, Eunício Oliveira, vão ficar paralisadas enquanto durar a intervenção federal. "Enquanto perdurar a intervenção no estado do Rio de Janeiro, eu, Eunício Oliveira, presidente do Senado e do Congresso Nacional, não darei tramitação a nenhuma medida de mudança na Constituição, caso contrário eu estaria descumprindo a Constituição brasileira, que eu jurei cumprir. Não tramitará nenhuma mudança à Constituição do país", afirmou o presidente do Senado.

Ainda segundo Eunício, que também preside os trabalhos do Congresso Nacional, são cerca de 190 as PECs que tramitam atualmente no Senado ou na Câmara.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247