Supermercados são interditados por crime ambiental

Após fiscalização, os supermercados o Atacadão e o GBarbosa, ambos em Maceió, foram interditados por irregularidades ambientais; o primeiro estava sem licença ambiental desde 2014, poço artesiano sem autorização e esgoto a céu aberto; o segundo foi interditado por estar há 3 anos sem licença ambiental e descarte irregular de chorume

Após fiscalização, os supermercados o Atacadão e o GBarbosa, ambos em Maceió, foram interditados por irregularidades ambientais; o primeiro estava sem licença ambiental desde 2014, poço artesiano sem autorização e esgoto a céu aberto; o segundo foi interditado por estar há 3 anos sem licença ambiental e descarte irregular de chorume
Após fiscalização, os supermercados o Atacadão e o GBarbosa, ambos em Maceió, foram interditados por irregularidades ambientais; o primeiro estava sem licença ambiental desde 2014, poço artesiano sem autorização e esgoto a céu aberto; o segundo foi interditado por estar há 3 anos sem licença ambiental e descarte irregular de chorume (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Alagoas247 - Uma ação conjunta de fiscalização realizada na manhã desta terça-feira (18) interditou dois supermercados de Maceió, o Atacadão, situado no Tabuleiro do Martins, e o GBarbosa, localizado no bairro da Serraria. Nos dois estabelecimentos, foram constatadas irregularidades ambientais.

O Gbarbosa foi interditado por estar há 3 anos sem licença ambiental. Lá também ficou constatado o descarte irregular de chorume, que estava sendo depositado diretamente na galeria de águas pluviais, já que o supermercado não possui um sistema de tratamento eficiente. Desde 2009, a outorga do poço artesiano também estava vencida.

"Eles não se preocuparam em renovar a licença. Tentamos negociar, mas a empresa não resolveu os problemas e hoje chegamos a esse ponto", declarou o secretário Municipal de Meio Ambiente, Davi Maia.

Segundo ele, o mercado apresentou uma defesa incoerente. A multa aplicada ao supermercado foi de R$ 73 mil.

De acordo com a Sempma, o estabelecimento só poderá reabrir quando assinar o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), o mesmo que já foi assinado pelo Hiper e pelo Extra. O TAC prevê a realização de análises do solo e da água e recuperação da área.

Atacadão

Já o Atacadão estava sem licença ambiental desde 2014, poço artesiano sem autorização e esgoto a céu aberto, em uma lagoa de 30 a 50 metros quadrados. No local, a Sempma testou o índice de poluição e ficou constatada a existência de 21.9 milhões de coliformes fiscais a cada mil ml de água.

Pelas irregularidades constatadas, a multa aplicada pelos fiscais foi no valor de R$ 95 mil. Somente quando a situação for regularizada é que o Atacadão poderá ser reaberto.

A expectativa é que outros estabelecimentos sejam fiscalizados ainda nesta manhã.

Com gazetaweb.com

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email