Suspeito de esquema com a Odebrecht, Fireman é cotado para Ministério

Pode desembarcar nos próximos dias no governo Michel Temer mais um ministro investigado por irregularidades; filiado ao PP, o alagoano Marco Fireman – atual secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, deve ficar no lugar de Ricardo Barros quando este deixar o posto, em abril; Fireman foi apontado como operador da propina da Odebrecht que teria sido paga ao ex-governador Teotônio Vilela (PSDB) na construção do Canal do Sertão

Marco Fireman
Marco Fireman (Foto: Voney Malta)

Por eassim.net - O secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Marco Fireman, filiado ao PP, deve ficar no lugar de Ricardo Barros quando este deixar o posto, em abril.

O secretário já foi apontado como operador de propina da Odebrecht que teria sido paga ao ex-governador Teotônio Vilela (PSDB), segundo noticiou o portal Poder360, de Brasília. Ambos foram denunciados. Renan Calheiros (MDB) e o atual governador de Alagoas, Renan Filho, também foram citados na investigação.

O posto que Fireman ocupa hoje é considerado o “número 2” da pasta. Ele foi indicado por pepistas de Alagoas: o senador Benedito de Lira e o deputado federal Arthur Lira.

A troca é vista com receio por lobistas da indústria farmacêutica. O secretário é tido como uma “indicação política demais”, de difícil trato.

Barros anunciou que irá deixar o Ministério para se desincompatibilziar do cargo e, assim, poder concorrer como deputado federal nas eleições deste ano. Ele concorre pelo PP do Paraná.

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247