“Tanto Iris quanto eu sabíamos da situação da prefeitura”, afirma Vanderlan

O empresário Vanderlan Cardoso (PSB), que disputou o segundo turno das eleições municipais de Goiânia contra Iris Rezende (PMDB), criticou a atuação do peemedebista nesses primeiros dois meses de mandato; "Tanto Iris quanto eu sabíamos da real situação da prefeitura durante a campanha do ano passado. Ele ainda mais que eu, pois o ex-vice prefeito é do seu partido e estava lá dentro do Paço Municipal do início ao fim da administração do Paulo (Garcia). Não pode, dois meses depois de assumir a prefeitura, continuar usando a administração passada como motivo para a lentidão do seu mandato"

O empresário Vanderlan Cardoso (PSB), que disputou o segundo turno das eleições municipais de Goiânia contra Iris Rezende (PMDB), criticou a atuação do peemedebista nesses primeiros dois meses de mandato; "Tanto Iris quanto eu sabíamos da real situação da prefeitura durante a campanha do ano passado. Ele ainda mais que eu, pois o ex-vice prefeito é do seu partido e estava lá dentro do Paço Municipal do início ao fim da administração do Paulo (Garcia). Não pode, dois meses depois de assumir a prefeitura, continuar usando a administração passada como motivo para a lentidão do seu mandato"
O empresário Vanderlan Cardoso (PSB), que disputou o segundo turno das eleições municipais de Goiânia contra Iris Rezende (PMDB), criticou a atuação do peemedebista nesses primeiros dois meses de mandato; "Tanto Iris quanto eu sabíamos da real situação da prefeitura durante a campanha do ano passado. Ele ainda mais que eu, pois o ex-vice prefeito é do seu partido e estava lá dentro do Paço Municipal do início ao fim da administração do Paulo (Garcia). Não pode, dois meses depois de assumir a prefeitura, continuar usando a administração passada como motivo para a lentidão do seu mandato" (Foto: José Barbacena)

Goiás 247 - O empresário Vanderlan Cardoso (PSB), que disputou o segundo turno das eleições municipais de Goiânia contra Iris Rezende (PMDB), criticou a atuação do peemedebista nesses primeiros dois meses de mandato. Iris esteve na Câmara Municipal para a prestação de contas da prefeitura do 3º quadrimestre de 2016 e, de acordo com Vanderlan, tentou justificar a ineficiência do seu mandato pelos problemas herdados de Paulo Garcia (PT), o que, para o pessebista, é inadmissível.

“Tanto Iris quanto eu sabíamos da real situação da prefeitura durante a campanha do ano passado. Ele ainda mais que eu, pois o ex-vice prefeito é do seu partido e estava lá dentro do Paço Municipal do início ao fim da administração do Paulo (Garcia). Não pode, dois meses depois de assumir a prefeitura, continuar usando a administração passada como motivo para a lentidão do seu mandato. É preciso apresentar soluções, o povo goianiense espera isso de um prefeito eleito. Ele não apresentou nada ainda”, aponta Vanderlan.

Cardoso lembra que, durante a campanha, Iris afirmou várias vezes que no primeiro dia de mandato iria colocar todas as máquinas “para roncar”, fazendo menção de que estariam trabalhando a todo vapor. “Não é isso que está acontecendo. Quase dois meses depois de assumir a prefeitura a cidade permanece igual, ou até pior, do que estava na administração anterior. Se o próprio Iris dizia que a gestão do Paulo Garcia era ruim, o que dizer desta, que trabalha de forma ainda mais lenta e sem vigor algum? As ruas de Goiânia estão sujas, Cais, como o Urias Magalhães, fechado, falta professores na rede municipal e nada é feito. Temos professores aprovados em concurso, é só convocar. Vemos claramente um governo despreparado e sem planejamento”, diz.

Para o presidente Metropolitano do PSB, a lentidão da prefeitura em resolver até mesmo questões mais simples já é indicativo de que a atual gestão terá dificuldades em cumprir promessas que serviram de bandeira da campanha de Íris, como a questão do transporte coletivo. “O prefeito demorou quase dois meses para indicar o presidente da CMTC. Alguém que tem, realmente, compromisso em resolver os problemas do transporte coletivo teria feito isso com muito mais agilidade. A administração do prefeito Íris Rezende está perdida dentro do Paço Municipal e isso é preocupante por que Goiânia precisa, urgentemente, de socorro”, reclama.

Vanderlan lembra que durante a campanha, ao ver o sucesso da sua proposta de criar oito regionais para descentralizar o trabalho da prefeitura, Íris a copiou e ainda disse que tinha mais possibilidade de implementá-la por que já havia, inclusive, projeto aprovado pela Câmara. Durante prestação de contas na Câmara Íris foi questionado sobre o assunto, mas preferiu ignorar a pergunta. “A impressão que temos é que tudo foi dito apenas para ganhar eleição. Goiânia realmente precisa de mais trabalho e menos politicagem. Nossa cidade padece de um administrador de verdade, ativo, que trabalhe para resolver os problemas. Temos que acabar com essas promessas feitas durante a campanha e esquecidas durante o mandato”, afirma.

Vanderlan Cardoso diz que ainda torce para que o prefeito Iris Rezende entenda o quanto a cidade precisa de uma boa gestão e comece a trabalhar por Goiânia. Para o empresário, Goiânia enfrenta problemas que só serão resolvidos com uma prefeitura ativa, trabalhando com vigor e disposição, com uma gestão planejada e que busque o desenvolvimento como forma de atrair recursos, sem sobrecarregar o cidadão com mais impostos, e que resolva, de forma imediata, os problemas mais urgentes. “O prefeito afirmou na campanha que assume a prefeitura em um dia e no outro tudo começa a se resolver, já se passaram quase dois meses e nada foi feito. É preciso parar de culpar gestões anteriores e trabalhar pela cidade, resolver os problemas”, argumenta.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247