Tarso Genro: RBS protege o governo Sartori

Após a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul aprovar a adesão do estado ao Regime de Recuperação Fiscal proposta pelo governo Michel Temer, o ex-governador Tarso Genro afirmou que a adesão "anula a redução do montante da dívida feita no nosso governo e aumenta este montante"; "A mídia RBS não reconhece nem divulga isso porque protege, de novo, Governo nefasto que transfere para os de baixa renda o ônus da crise", disse o petista no Twitter; "O jogo neoliberal é a banalidade do mal"

2014.10.15 - Porto Alegre/RS/Brasil - Entrevista com o candidato à reeleição para o Palácio Piratini Tarso Genro, do PT. Segundo Turno. Eleições 2014. | Foto: Ramiro Furquim/Sul21.com.br
2014.10.15 - Porto Alegre/RS/Brasil - Entrevista com o candidato à reeleição para o Palácio Piratini Tarso Genro, do PT. Segundo Turno. Eleições 2014. | Foto: Ramiro Furquim/Sul21.com.br (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Rio Grande do Sul 247 - Após a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul aprovar a adesão do estado ao Regime de Recuperação Fiscal proposta pelo governo Michel Temer, o ex-governador Tarso Genro afirmou que a adesão "anula a redução do montante da dívida feita no nosso governo e aumenta este montante".

"A mídia RBS não reconhece nem divulga isso porque protege, de novo, Governo nefasto que transfere para os de baixa renda o ônus da crise", escreveu o petista em sua conta no Twitter. "Como transfere? Arrochando salários, atrasando-os. Acabando políticas sociais que tem custo sim, mas combatem a exclusão. Como na União! RS e país jogados na indeterminação política, falência do Estado Social e crise econômica. O jogo neoliberal é a banalidade do mal", acrescentou.

Com a adesão, serão incentivadas as privatizações de empresas públicas, como Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE), Companhia Riograndense de Mineração (CRM) e Sulgás, além dos planos de demissão voluntária.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247