Tasso indica Capitão Wagner para concorrer ao Governo

Em reunião com líderes da oposição, o senador Tasso Jereissati (PSDB) indiciou o nome de Capitão Wagner (PR) para enfrentar Camilo Santana (PT) na eleição deste ano. “Foi o Tasso mesmo que colocou meu nome, e foi apoiado por todos os presentes”, disse o parlamentar. O tucano, no entanto, teria imposto a condição de apoio ao seu candidato à Presidência da República

Em reunião com líderes da oposição, o senador Tasso Jereissati (PSDB) indiciou o nome de Capitão Wagner (PR) para enfrentar Camilo Santana (PT) na eleição deste ano. “Foi o Tasso mesmo que colocou meu nome, e foi apoiado por todos os presentes”, disse o parlamentar. O tucano, no entanto, teria imposto a condição de apoio ao seu candidato à Presidência da República
Em reunião com líderes da oposição, o senador Tasso Jereissati (PSDB) indiciou o nome de Capitão Wagner (PR) para enfrentar Camilo Santana (PT) na eleição deste ano. “Foi o Tasso mesmo que colocou meu nome, e foi apoiado por todos os presentes”, disse o parlamentar. O tucano, no entanto, teria imposto a condição de apoio ao seu candidato à Presidência da República (Foto: Rodrigo Rocha)

Ceará 247 - O deputado estadual Capitão Wagner (PR) deverá ser o principal candidato de oposição ao Governo do Estado. De acordo com o parlamentar, seu nome foi indicado pelo senador Tasso Jereissati (PSDB) para enfrentar Camilo Santana (PT). “Foi o Tasso mesmo que colocou meu nome, e foi apoiado por todos os presentes”, disse ao jornal O Povo, sobre reunião realizada na segunda-feira (8) com o tucano e outras lideranças estaduais.

O presidente estadual do PSDB, Francine Guedes, afirmou que Tasso pediu que fosse feita uma pesquisa “com uma nova metodologia” para avaliar as chances de Wagner e, após o dia 24 — quando o ex-presidente Lula (PT) será julgado —, será realizada outra reunião. Já o ex-presidente estadual da sigla, Luiz Pontes, garantiu que  a possibilidade do senador disputar o governo ainda não deve ser descartada.

Um dos grandes impasses para a candidatura de Wagner, no entanto, é o palanque nacional. O PSDB teria imposto a condição de apoio ao seu candidato à presidência, o que para o parlamentar dificultaria sua campanha. Ele diz que, sob essa condição, não aceitará entrar na disputa. “Não sou um candidato kamikaze, quero disputar com chance de vitória. Já tenho um adversário do tamanho do Golias para enfrentar, com dificuldades financeiras e estruturais. Com essa condição (a candidatura) se torna inviável”, afirma.

(Com informações do jornal O Povo)

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247