TCE-GO recebe declaração de garantia de qualidade

Diagnóstico faz parte do Marco de Medição de Desempenho, desenvolvido para fortalecer o sistema nacional de controle externo e contribuir para que os tribunais de contas atuem de maneira harmônica e uniforme, aprimorem a qualidade e agilidade das auditorias e dos julgamentos; objetivo é oferecer o controle social e serviços de excelência, a partir de um padrão de fácil verificação e confirmação; "Não se trata de uma espécie de ranking entre os tribunais, o que fizemos foi estabelecer o que seria o tribunal ideal e avaliamos o desempenho de cada corte de contas de acordo com esse padrão", explica o coordenador do grupo, conselheiro Antônio Gilberto de Oliveira Jalles, do TCE do Rio Grande do Norte

Diagnóstico faz parte do Marco de Medição de Desempenho, desenvolvido para fortalecer o sistema nacional de controle externo e contribuir para que os tribunais de contas atuem de maneira harmônica e uniforme, aprimorem a qualidade e agilidade das auditorias e dos julgamentos; objetivo é oferecer o controle social e serviços de excelência, a partir de um padrão de fácil verificação e confirmação; "Não se trata de uma espécie de ranking entre os tribunais, o que fizemos foi estabelecer o que seria o tribunal ideal e avaliamos o desempenho de cada corte de contas de acordo com esse padrão", explica o coordenador do grupo, conselheiro Antônio Gilberto de Oliveira Jalles, do TCE do Rio Grande do Norte
Diagnóstico faz parte do Marco de Medição de Desempenho, desenvolvido para fortalecer o sistema nacional de controle externo e contribuir para que os tribunais de contas atuem de maneira harmônica e uniforme, aprimorem a qualidade e agilidade das auditorias e dos julgamentos; objetivo é oferecer o controle social e serviços de excelência, a partir de um padrão de fácil verificação e confirmação; "Não se trata de uma espécie de ranking entre os tribunais, o que fizemos foi estabelecer o que seria o tribunal ideal e avaliamos o desempenho de cada corte de contas de acordo com esse padrão", explica o coordenador do grupo, conselheiro Antônio Gilberto de Oliveira Jalles, do TCE do Rio Grande do Norte (Foto: Realle Palazzo-Martini)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Goiás 247 - Uma comissão composta por quatro representantes da Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon) entregou ao TCE-GO, documento de Declaração de Garantia de Qualidade que valida o resultado de autoavaliação da Corte de Contas goiana. Durante três dias, o grupo de trabalho analisou dados em conjunto com a Comissão de Autoavaliação, designado por portaria da presidência de 1º de setembro.

O coordenador do grupo, conselheiro Antônio Gilberto de Oliveira Jalles, do TCE do Rio Grande do Norte, explica que durante três dias foram analisadas e referendadas as informações colhidas pelo TCE goiano, de acordo com rigorosa metodologia estabelecida pela Atricon. Também integraram a equipe o conselheiro substituto do TCE-MT Moisés Maciel e as servidoras Claudia Stancioli e Karina Ramos Travaglia.

O diagnóstico faz parte do Marco de Medição de Desempenho (MMD), que foi desenvolvido para fortalecer o sistema nacional de controle externo e contribuir para que os tribunais de contas atuem de maneira harmônica e uniforme, aprimorem a qualidade e agilidade das auditorias e dos julgamentos, valorizando o controle social e oferecendo serviços de excelência, a partir de um padrão de fácil verificação e confirmação.

A ferramenta viabiliza aos TCs medir o seu desempenho comparativamente às boas práticas internacionais e às diretrizes estabelecidas pela Atricon. “Não se trata de uma espécie de ranking entre os tribunais, o que fizemos foi estabelecer o que seria o tribunal ideal e avaliamos o desempenho de cada corte de contas de acordo com esse padrão”, explicou o coordenador.

Ele expôs que o resultado global dos levantamentos realizados pelos 33 TCs que aderiram espontaneamente ao programa, será apresentado durante o 28º Congresso dos Tribunais de Contas do Brasil, que será realizado em Recife (PE), de 1º a 4 de dezembro. “Os dados individuais de cada tribunal são confidenciais e não serão divulgados”, ressalta.

Segundo o conselheiro, esta fase de diagnóstico é fundamental para que as cortes de contas possam estabelecer seu plano de ação, visando melhorar seu desempenho nas mais diversas áreas. Coordenador da Comissão de Autoavaliação no TCE-GO, Lucio Marcos Bolzan afirma que o diagnóstico permitiu à equipe “ampliar a visão sistêmica do tribunal em vários aspectos”. Os dados deverão embasar o planejamento para 2016, de acordo com os parâmetros de qualidade e agilidade.

A Comissão de Autoavaliação do TCE-GO é composta pelos servidores Lúcio Marcos Bolzan, Adriana de Moraes, Jaqueline Gonçalves Nascimento, Leandro Vieira Santana e Selva de Souza Cavalcante.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email