TCU encontra mutretas inéditas na Norte-Sul

Auditoria em trecho de 550 quilômetros da ferrovia entre Palmas (no Tocantins) e Uruaçu (em Goiás) mostrou que a Valec mediu e pagou por trechos que não foram executados; tribunal detectou ainda serviços de baixa qualidade, resultando em prejuízo estimado de R$ 35 milhões; a própria Valec, que já teve até ex-presidente preso por suspeitas de fraudes, estima que o custo dos erros cometidos e das obras remanescentes do trecho Anápolis-Palmas representarão um adicional de R$ 430 milhões

Auditoria em trecho de 550 quilômetros da ferrovia entre Palmas (no Tocantins) e Uruaçu (em Goiás) mostrou que a Valec mediu e pagou por trechos que não foram executados; tribunal detectou ainda serviços de baixa qualidade, resultando em prejuízo estimado de R$ 35 milhões; a própria Valec, que já teve até ex-presidente preso por suspeitas de fraudes, estima que o custo dos erros cometidos e das obras remanescentes do trecho Anápolis-Palmas representarão um adicional de R$ 430 milhões
Auditoria em trecho de 550 quilômetros da ferrovia entre Palmas (no Tocantins) e Uruaçu (em Goiás) mostrou que a Valec mediu e pagou por trechos que não foram executados; tribunal detectou ainda serviços de baixa qualidade, resultando em prejuízo estimado de R$ 35 milhões; a própria Valec, que já teve até ex-presidente preso por suspeitas de fraudes, estima que o custo dos erros cometidos e das obras remanescentes do trecho Anápolis-Palmas representarão um adicional de R$ 430 milhões (Foto: Realle Palazzo-Martini)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Goiás247_ Ferrovia Norte-Sul em Goiás é sinônimo de enrolação e fraude. E os motivos para que a construção que se arrasta há anos seja malvista não param se surgir. Reportagem do jornal Valor Econômico mostra que o Tribunal de Contas da União (TCU) encontrou novas irregularidades em contratos firmados pela Valec com empresas que atuaram na construção da Ferrovia Norte-Sul.
 
O alvo da auditoria foi o trecho da estrada de ferro que está sendo construído para ligar as cidades de Palmas, em Tocantins, até Uruaçu, em Goiás. Neste curso de cerca de 550 km a auditoria detectou casos de serviços que foram medidos e pagos pela Valec, mas não foram executados pelos fornecedores.
 
E as fraudes não param por aí. Em outros casos foram realizados serviços de baixa qualidade e o prejuízo estimado pelo TCU é de R$ 35 milhões. A auditoria se concentrou em seis contratos que foram assinados entre a Valec e três empreiteiras. O tribunal informou que nenhum desses contratos foi alvo de recomendação de bloqueio de repasse financeiro, porque todos já estão em fase de encerramento pela estatal.
 
O ministro do TCU, Valmir Campelo, vai fazer audiências com os diretores da Valec para saber porque a estatal fez o pagamento de obras que não foram realizadas. O relatório menciona que o trecho da Norte-Sul deverá ser concluído no primeiro trimestre de 2014. 
 
A extensão da ferrovia que deverá ser concluída até o fim deste ano, segundo a Valec, envolve um trecho total de 855 km, que liga Palmas, Uruaçu e Anápolis (GO). Orçado em R$ 4,8 bilhões, essa parte da Norte-Sul tinha previsão inicial de ser entregue em outubro de 2010, prazo que foi completamente comprometido por uma infinidade de problemas administrativos e operacionais, como deficiências no sistema de drenagem, falta de acabamento da superestrutura dos trilhos, desvio de cruzamento não executado, pátios intermodais de carga e descarga não construídos, trilhos mal instalados e dormentes em degradação.
 
A própria Valec, em relatórios internos, já estimou que o custo dos erros cometidos e das obras remanescentes deste trecho da Norte-Sul representarão adicional de R$ 430 milhões.

Outros escândalos
 
A operação Trem Pagador da Polícia Federal, deflagrada em 2012, revelou inúmeras irregularidades na execução das obras da Ferrovia Norte-Sul. O presidente da Valec, o goiano Juquinha das Neves, foi preso acusado de enriquecimento ilícito. 
 
Na semana passada, em entrevista ao jornal O Popular a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, afirmou que não sabia como estava o andamento das obras da Norte-Sul em Goiás. O que mostra mais um descaso do governo federal com a execução de uma infraestrutura que é vital para o desenvolvimento do Estado.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email