TCU investiga obra de navegabilidade em Pernambuco

Tribunal de Contas da União (TCU) abriu auditoria para investigar o atraso nas obras de navegabilidade do Corredor de Transporte Fluvial do Recife, por meio do projeto batizado de Rios da Gente; projeto, que foi iniciado em 2012, ainda no governo Eduardo Campos (PSB), já consumiu cerca de R$ 100 milhões e parte do pouco que foi feito encontra-se em deterioração nos canteiros de obras paralisados; previsto para ser entregue em 2014, corredor fluvial de passageiros no rio Capibaribe, atenderia 300 mil pessoas/mês, por meio de 13 embarcações e sete estações de embarque e desembarque; canal de navegação teria 13,5 quilômetros de extensão; projeto total está orçado em R$ 250 milhões

Tribunal de Contas da União (TCU) abriu auditoria para investigar o atraso nas obras de navegabilidade do Corredor de Transporte Fluvial do Recife, por meio do projeto batizado de Rios da Gente; projeto, que foi iniciado em 2012, ainda no governo Eduardo Campos (PSB), já consumiu cerca de R$ 100 milhões e parte do pouco que foi feito encontra-se em deterioração nos canteiros de obras paralisados; previsto para ser entregue em 2014, corredor fluvial de passageiros no rio Capibaribe, atenderia 300 mil pessoas/mês, por meio de 13 embarcações e sete estações de embarque e desembarque; canal de navegação teria 13,5 quilômetros de extensão; projeto total está orçado em R$ 250 milhões
Tribunal de Contas da União (TCU) abriu auditoria para investigar o atraso nas obras de navegabilidade do Corredor de Transporte Fluvial do Recife, por meio do projeto batizado de Rios da Gente; projeto, que foi iniciado em 2012, ainda no governo Eduardo Campos (PSB), já consumiu cerca de R$ 100 milhões e parte do pouco que foi feito encontra-se em deterioração nos canteiros de obras paralisados; previsto para ser entregue em 2014, corredor fluvial de passageiros no rio Capibaribe, atenderia 300 mil pessoas/mês, por meio de 13 embarcações e sete estações de embarque e desembarque; canal de navegação teria 13,5 quilômetros de extensão; projeto total está orçado em R$ 250 milhões (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Pernambuco 247 - Mais uma obra estadual está na mira do Tribunal de Contas da União (TCU). O órgão de fiscalização e controle abriu auditoria para investigar o atraso nas obras de navegabilidade do Corredor de Transporte Fluvial do Recife, programa Rios da Gente. O projeto, que foi iniciado em 2012, ainda no governo Eduardo Campos (PSB), já consumiu cerca de R$ 100 milhões e parte do pouco que foi feito encontra-se em deterioração nos canteiros de obras paralisados.

O projeto Rios da Gente, que prevê a implantação de um corredor fluvial de passageiros no rio Capibaribe, atenderia 300 mil pessoas/mês, por meio de 13 embarcações e sete estações de embarque e desembarque. O canal de navegação teria 13,5 quilômetros de extensão. O projeto total está orçado em R$ 250 milhões e deveria ter sido entregue à população em 2014.

Nos últimos dias, auditores do TCU estiveram no Recife para cobrar celeridade ao projeto e investigar as razões do atraso de forma simultânea, tanto na capital pernambucana como em Brasília.

Segundo o Tribunal de Contas do Estado (TCE), que repassou dados e informações para o TCU, os problemas são inúmeros, passando desde o atraso até a desconformidade de planilhas. o contrato para a realização da dragagem, por exemplo, foi encerrado sem que o serviço fosse executado me sua plenitude. O contrato para a construção das estações continua em vigor, mas os trabalhos estão interrompidos.

Segundo a conselheira do TCE Tereza Duere, "a Prefeitura do Recife e o Governo do Estado já sinalizaram que não há recursos para retomada por completo", disse. A Secretaria das Cidades informou que a rescisão do contrato com o consórcio ETC-Brasília Guaíba está sendo viabilizada e que a dragagem foi suspensa em função da existência de palafitas ao longo do leito do rio por onde passará o canal de navegação. A Prefeitura do Recife disse que está buscando os meios para resolver a questão de moradia.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247