Teixeira critica Fachin: não fala do uso político da Justiça

O deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) criticou a fala do ministro do STF Edson Fachin na sessão que analisa nesta quarta-feira (4) o Habeas Corpus do ex-presidente Lula; "Fachin fala da ineficiência da justiça brasileira em diversos casos de condenacão do Brasil pela Corte Americana de Direitos Humanos. Deixa de falar do uso politico da justiça cuja celeridade tem objetivo eleitoral, como foi o caso do ex-presidente Lula", escreveu Teixeira no Twitter.

O deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) criticou a fala do ministro do STF Edson Fachin na sessão que analisa nesta quarta-feira (4) o Habeas Corpus do ex-presidente Lula; "Fachin fala da ineficiência da justiça brasileira em diversos casos de condenacão do Brasil pela Corte Americana de Direitos Humanos. Deixa de falar do uso politico da justiça cuja celeridade tem objetivo eleitoral, como foi o caso do ex-presidente Lula", escreveu Teixeira no Twitter.
O deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) criticou a fala do ministro do STF Edson Fachin na sessão que analisa nesta quarta-feira (4) o Habeas Corpus do ex-presidente Lula; "Fachin fala da ineficiência da justiça brasileira em diversos casos de condenacão do Brasil pela Corte Americana de Direitos Humanos. Deixa de falar do uso politico da justiça cuja celeridade tem objetivo eleitoral, como foi o caso do ex-presidente Lula", escreveu Teixeira no Twitter. (Foto: Leonardo Lucena)

SP 247 - O deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) criticou o ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin, que começou a falar na sessão que analisa nesta quarta-feira (4) o Habeas Corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

"Fachin fala da ineficiência da justiça brasileira em diversos casos de condenação do Brasil pela Corte Americana de Direitos Humanos. Deixa de falar do uso politico da justiça cuja celeridade tem objetivo eleitoral, como foi o caso do ex-presidente Lula", escreveu Teixeira no Twitter.

De acordo com o parlamentar, "o STF há de fazer justiça e impedir a prisão sem provas de Lula". "A operação Lava-Jato atropelou o devido processo legal para condenar e prender Lula. Cabe ao STF impedir este desrespeito à Constituição", disse.

"Defender a liberdade de Lula é defender o legado de quem tirou quase 40 milhões de brasileiros da miséria. Enquanto alguns fazem jejum para ver Lula preso, outros querem #LulaLivre para combater a fome dos mais pobres".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247