Teixeira ironiza: até quando Moro continuará a se comportar como presidente do STF?

Deputado Paulo Teixeira (PT-SP) bateu duro em Sérgio Moro, que deu uma decisão divergente da proferida pelo juiz convocado pelo TRF1 Leão Aparecido Alves e manter a extradição de Raul Schmidt, alvo da Lava Jato preso em Portugal; "Moro desafiou o Supremo Tribunal Federal. Agora, o juiz autoritário resolveu desrespeitar decisão de magistrado convocado pelo TRF-1. E foi duramente criticado por desembargador do TRF-1. Até quando Moro continuará a se comportar como presidente do STF?"

Deputado Paulo Teixeira (PT-SP) bateu duro em Sérgio Moro, que deu uma decisão divergente da proferida pelo juiz convocado pelo TRF1 Leão Aparecido Alves e manter a extradição de Raul Schmidt, alvo da Lava Jato preso em Portugal; "Moro desafiou o Supremo Tribunal Federal. Agora, o juiz autoritário resolveu desrespeitar decisão de magistrado convocado pelo TRF-1. E foi duramente criticado por desembargador do TRF-1. Até quando Moro continuará a se comportar como presidente do STF?"
Deputado Paulo Teixeira (PT-SP) bateu duro em Sérgio Moro, que deu uma decisão divergente da proferida pelo juiz convocado pelo TRF1 Leão Aparecido Alves e manter a extradição de Raul Schmidt, alvo da Lava Jato preso em Portugal; "Moro desafiou o Supremo Tribunal Federal. Agora, o juiz autoritário resolveu desrespeitar decisão de magistrado convocado pelo TRF-1. E foi duramente criticado por desembargador do TRF-1. Até quando Moro continuará a se comportar como presidente do STF?" (Foto: Leonardo Lucena)

SP 247 - O deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) bateu duro em Sérgio Moro, que deu uma decisão divergente da proferida pelo juiz convocado pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região Leão Aparecido Alves e manter a extradição de Raul Schmidt, alvo da Operação Lava Jato preso em Portugal.

"Moro desafiou o Supremo Tribunal Federal. Agora, o juiz autoritário resolveu desrespeitar decisão de magistrado convocado pelo TRF-1. E foi duramente criticado por desembargador do TRF-1. Até quando Moro continuará a se comportar como presidente do STF?", questionou o parlamentar em sua conta no Twitter.

Aparecido Alves concedeu habeas corpus (HC) a Schmidt nesta sexta-feira, 27, para barrar a extradição ao Brasil. Moro, no entanto, manteve o processo. O Superior Tribunal de Justiça já havia negado liminar em HC a Schmidt para impedir sua extradição.

Schmidt é investigado pelo pagamento de propinas aos ex-diretores da Petrobrás Nestor Cerveró, Renato de Souza Duque e Jorge Luiz Zelada, envolvidos no esquema de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa instalado na Petrobrás entre 2004 e 2014. Schmidt estava foragido desde 2015, quando foi para Portugal, pelo benefício da dupla nacionalidade. Detido em março de 2016, ele fez acordo com a Justiça portuguesa para responder o processo de extradição em liberdade. Foi preso no último dia 13, quando o Judiciário português rejeitou seus últimos recursos e determinou sua extradição para o Brasil.

Desembargador critica

O desembargador do Tribunal Regional Federal da 1ª Região Ney Bello afirmou que Sérgio Moro 'instou às autoridades públicas' a 'descumprir ordem judicial', conforme relato do blog do Fausto Macedo.

"O que é intolerável é o desconhecimento dos princípios constitucionais do processo e das normas processuais penais que regem estes conflitos, sob o frágil argumento moral de autoridade, e em desrespeito ao direito objetivo. A instigação ao descumprimento de ordem judicial emitida por um juiz autoriza toda a sociedade a descumprir ordens judiciais de quaisquer instâncias, substituindo a normalidade das decisões judiciais pelo equívoco das pretensões individuais", afirmou Ney Bello, presidente da 3ª Turma do TRF-1, sobre o despacho de Moro. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247