Teixeira: STF e Congresso devem moralizar o uso do auxílio-moradia

"Ninguém pode querer passar a limpo o país sem mexer nos absurdos que estão acontecendo dentro dos poderes da República", disse o deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP); o posicionamento do parlamentar vem em meio à polêmica envolvendo o juiz Marcelo Bretas, responsável pelos processos da Operação Lava Jato no estado do Rio; o magistrado defendeu o auxílio-moradia duplo, mesmo ele morando com sua esposa, que também é magistrada

"Ninguém pode querer passar a limpo o país sem mexer nos absurdos que estão acontecendo dentro dos poderes da República", disse o deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP); o posicionamento do parlamentar vem em meio à polêmica envolvendo o juiz Marcelo Bretas, responsável pelos processos da Operação Lava Jato no estado do Rio; o magistrado defendeu o auxílio-moradia duplo, mesmo ele morando com sua esposa, que também é magistrada
"Ninguém pode querer passar a limpo o país sem mexer nos absurdos que estão acontecendo dentro dos poderes da República", disse o deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP); o posicionamento do parlamentar vem em meio à polêmica envolvendo o juiz Marcelo Bretas, responsável pelos processos da Operação Lava Jato no estado do Rio; o magistrado defendeu o auxílio-moradia duplo, mesmo ele morando com sua esposa, que também é magistrada (Foto: Leonardo Lucena)

SP 247 - O deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) afirmou que o uso do auxílio-moradia deve ser moralizado. O posicionamento do parlamentar vem em meio à polêmica envolvendo o juiz Marcelo Bretas, responsável pelos processos da Operação Lava Jato no estado do Rio. O magistrado defendeu o auxílio-moradia duplo, mesmo ele morando com sua esposa, que também é magistrada.

Segundo Teixeira, "o Supremo Tribunal Federal e o Congresso Nacional precisam moralizar o uso do auxilio moradia". "Ninguém pode querer passar a limpo o país sem mexer nos absurdos que estão acontecendo dentro dos poderes da República", disse o congressista no Twitter.

Bretas havia ido ao Twitter defender o direito a acumular o recebimento de auxílio-moradia com a esposa, também juíza Simone Bretas. "Pois é, tenho esse 'estranho' hábito. Sempre que penso ter direito a algo eu VOU À JUSTIÇA e peço. Talvez devesse ficar chorando num canto, ou pegar escondido ou à força. Mas, como tenho medo de merecer algum castigo, peço na Justiça o meu direito", afirmou.

O magistrado recebeu apoio do presidente da Associação de Juízes Federais do Rio de Janeiro e Espírito Santo (Ajuferges), Fabrício Fernandes, que também recebe auxílio moradia mesmo residindo com um sua esposa juíza (veja aqui).

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247