Teixeira: veto da juíza a inspeção na cela de Lula foi “gravíssimo”

O deputado Paulo Teixeira (PT-SP) destacou pedido do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), feito ao STF para anular decisões da juíza Carolina Lebbos de impedir uma comissão externa da Casa  de vistoriar as instalações da cela em que o ex-presidente Lula se encontra detido, em Curitiba (PR); Teixeira reforçou que Lula é um "preso político" que deve manter "sua prerrogativa respeitada". "O veto da juíza à inspeção foi gravíssimo!"

O deputado Paulo Teixeira (PT-SP) destacou pedido do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), feito ao STF para anular decisões da juíza Carolina Lebbos de impedir uma comissão externa da Casa  de vistoriar as instalações da cela em que o ex-presidente Lula se encontra detido, em Curitiba (PR); Teixeira reforçou que Lula é um "preso político" que deve manter "sua prerrogativa respeitada". "O veto da juíza à inspeção foi gravíssimo!"
O deputado Paulo Teixeira (PT-SP) destacou pedido do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), feito ao STF para anular decisões da juíza Carolina Lebbos de impedir uma comissão externa da Casa  de vistoriar as instalações da cela em que o ex-presidente Lula se encontra detido, em Curitiba (PR); Teixeira reforçou que Lula é um "preso político" que deve manter "sua prerrogativa respeitada". "O veto da juíza à inspeção foi gravíssimo!" (Foto: Leonardo Lucena)

SP 247 - O deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) destacou pedido do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) feito ao Supremo Tribunal Fede para anular decisões da juíza Carolina Lebbos, da 12º Vara Federal de Curitiba, de impedir uma comissão externa da Casa  de vistoriar as instalações da cela em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se encontra detido, em Curitiba (PR).

Teixeira reforçou que Lula é um "preso político" que deve manter "sua prerrogativa respeitada". "O veto da juíza à inspeção foi gravíssimo!", acrescentou.

O parlamentar também comentou sobre o conclusão do delegado Hélder Laudia, de que os tiros contra a caravana do ex-presidente Lula em março, no Paraná, foram planejados. "Mais de um mês depois, o ataque continua sem respostas. No entanto, para quem minimizou o fato, já há informações: o ódio e o fascismo se organizam para exterminar os que pensam diferente", disse.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247