Temer avalizou caixa dois para Chalita com propina do FI-FGTS, diz Funaro

Em sua delação premiada, o corretor Lúcio Funaro relata como Michel Temer autorizou uma doação por fora à campanha de Gabriel Chalita à prefeitura de São Paulo; os recursos foram doados por Henrique Constantino, dono da Gol, e eram fruto de corrupção na Caixa Econômica Federal

Funaro e Temer
Funaro e Temer (Foto: Leonardo Attuch)

247 – Em sua delação premiada, o corretor Lúcio Funaro relata como Michel Temer autorizou uma doação por fora à campanha de Gabriel Chalita à prefeitura de São Paulo.

Os recursos foram doados por Henrique Constantino, dono da Gol, e eram fruto de corrupção na Caixa Econômica Federal, no FI-FGTS.

A revelação foi feita em reportagem de Reynaldo Turollo, Rubens Valente, Bela Megale e Camila Mattoso:

Segundo a PF, em determinado momento de negociações com o corretor para liberação de recursos de um fundo público de investimento, o empresário Henrique Constantino, da empresa aérea Gol, pediu uma prova de que os recursos destinados à campanha de Gabriel Chalita (PMDB-SP) à Prefeitura de São Paulo, em 2012, seriam de fato um pedido de Temer, hoje presidente da República.

De acordo com a PF, "os valores para os pagamentos teriam sido levantados por Funaro com Constantino" e foram gerados pelo "adiantamento de valores decorrentes de negócios escusos que este tinha com Funaro para a liberação de créditos junto à Caixa Econômica Federal".

Diante do pedido de Constantino para comprovar o pedido de Temer, Funaro disse que acionou o então deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ). "Em poucos minutos", diz Funaro, "o próprio vice-presidente Michel Temer teria ligado diretamente para Henrique Constantino agradecendo a disposição para realizar a doação".

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247