Temer é denunciado à PGR por fraudar agenda oficial

Deputado federal Jorge Solla (PT-BA) apresentou nesta segunda-feira 5 uma denúncia à Procuradoria-Geral da República para que Michel Temer seja investigado pelo crime de obstrução de Justiça por suposta manipulação de sua agenda oficial; a peça tem como base reportagem publicada pela revista Época que denunciou que a agenda antiga de Temer foi alterada no sistema do Planalto no mesmo dia em que a Polícia Federal deflagrou a Operação Patmos, com base nas denúncias das delações da JBS, que atingiu diretamente o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) e o próprio Temer

Deputado federal Jorge Solla (PT-BA) apresentou nesta segunda-feira 5 uma denúncia à Procuradoria-Geral da República para que Michel Temer seja investigado pelo crime de obstrução de Justiça por suposta manipulação de sua agenda oficial; a peça tem como base reportagem publicada pela revista Época que denunciou que a agenda antiga de Temer foi alterada no sistema do Planalto no mesmo dia em que a Polícia Federal deflagrou a Operação Patmos, com base nas denúncias das delações da JBS, que atingiu diretamente o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) e o próprio Temer
Deputado federal Jorge Solla (PT-BA) apresentou nesta segunda-feira 5 uma denúncia à Procuradoria-Geral da República para que Michel Temer seja investigado pelo crime de obstrução de Justiça por suposta manipulação de sua agenda oficial; a peça tem como base reportagem publicada pela revista Época que denunciou que a agenda antiga de Temer foi alterada no sistema do Planalto no mesmo dia em que a Polícia Federal deflagrou a Operação Patmos, com base nas denúncias das delações da JBS, que atingiu diretamente o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) e o próprio Temer (Foto: Gisele Federicce)

Bahia 247 - O deputado federal Jorge Solla (PT-BA) apresentou nesta segunda-feira (5) denúncia à Procuradoria-Geral da República para que o presidente Michel Temer (PMDB) seja investigado pelo crime de obstrução de Justiça por suposta manipulação de sua agenda oficial.

Reportagem publicada pela revista Época denunciou que a agenda antiga de Temer foi alterada no sistema do Planalto no mesmo dia em que a Polícia Federal deflagrou a Operação Patmos, com base nas denúncias das delações da JBS, que atingiu diretamente o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) e o próprio Temer.

"É escandaloso que o presidente que está sendo investigado pela PGR por crimes de corrupção, organização criminosa e obstrução de justiça esteja usando o cargo para apagar provas contra si. É necessária uma rápida perícia oficial e, se comprovada essa adulteração, Temer precisa ser afastado imediatamente, é um caso flagrante do uso do cargo para queimar provas", destacou Solla.

A denúncia, cujo número para acompanhamento no sistema Único é PGR-00174974/2017, destaca trecho da perícia de policiais federais que atestaram que "o servidor do Planalto foi acessado e as agendas antigas manipuladas naquela mesma manhã em que a PF cumpria mandados de prisão e buscas autorizados pelo Ministro Fachin, do Supremo Tribunal Federal".

O deputado Jorge Solla apresentou também um requerimento à Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara (CFFC) convocando o ministro Moreira Franco, da Secretaria Geral da Presidência da República, para prestar esclarecimentos sobre o caso. Segundo ele, o objetivo é esclarecer a hierarquia de responsabilidades e os procedimentos internos adotados para apurar a manipulação da agenda oficial da presidência.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247