“Temer está entregando o governo aos militares”, diz Valente

Deputado federal Ivan Valente (Psol-SP) criticou o governo Michel Temer, que resolveu nomear um general para assumir o Ministério da Defesa; o atual comandante da pasta, Raul Jungmann, vai para o Ministério Extraordinário da Segurança Pública; "Espantoso, Temer está entregando o governo aos militares. Desde 1999 o ministério da Defesa era ocupado por um civil, isso fez parte da luta pela democracia. Agora do alto da sua impopularidade, Temer faz qualquer negócio para tentar esconder seu fracasso", escreveu o parlamentar

Deputado federal Ivan Valente (Psol-SP) criticou o governo Michel Temer, que resolveu nomear um general para assumir o Ministério da Defesa; o atual comandante da pasta, Raul Jungmann, vai para o Ministério Extraordinário da Segurança Pública; "Espantoso, Temer está entregando o governo aos militares. Desde 1999 o ministério da Defesa era ocupado por um civil, isso fez parte da luta pela democracia. Agora do alto da sua impopularidade, Temer faz qualquer negócio para tentar esconder seu fracasso", escreveu o parlamentar
Deputado federal Ivan Valente (Psol-SP) criticou o governo Michel Temer, que resolveu nomear um general para assumir o Ministério da Defesa; o atual comandante da pasta, Raul Jungmann, vai para o Ministério Extraordinário da Segurança Pública; "Espantoso, Temer está entregando o governo aos militares. Desde 1999 o ministério da Defesa era ocupado por um civil, isso fez parte da luta pela democracia. Agora do alto da sua impopularidade, Temer faz qualquer negócio para tentar esconder seu fracasso", escreveu o parlamentar (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

SP 247 - O deputado federal Ivan Valente (Psol-SP) criticou o governo Michel Temer, que resolveu nomear um general para assumir o Ministério da Defesa. O atual comandante da pasta, Raul Jungmann, vai para o Ministério Extraordinário da Segurança Pública. 

"Espantoso, Temer está entregando o governo aos militares, desde 1999 o ministério da Defesa era ocupado por um civil, isso fez parte da luta pela democracia. Agora do alto da sua impopularidade, Temer faz qualquer negócio para tentar esconder seu fracasso", escreveu o parlamentar, nesta segunda-feira (26), em sua conta no Twitter.

Após Temer anunciar a intervenção militar na segurança pública do Rio de Janeiro, a criminalidade voltar a ganhar espaço na mídia e nos discursos de presidenciáveis, com intensas críticas ao governo. O emedebista decidiu criar uma pasta voltada para a segurança e nomeou como o general Joaquim Silva e Luna, que foi chefe do Estado Maior do Exército e é general do Exército da reserva.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247