Temer veta artigo de Caiado e libera recursos da Celg para Goiás

Diário Oficial da União publica nesta sexta-feira a sanção do presidente Michel Temer à Medida Provisória 735/16, que abre em definitivo o caminho para a privatização da Celg; o leilão está marcado para o dia 30 deste mês; Temer vetou artigos que poderiam atrapalhar a venda da companhia ou mesmo impedir que parte dos recursos arrecadados venham a ser destinados ao governo de Goiás; quando a MP transitou pelo Senado, Ronaldo Caiado tentou criar de todas as formas barrar a privatização da Celg e forçar que os recursos oriundos da venda fosse usados para que o Estado pagasse dívidas com a União

Diário Oficial da União publica nesta sexta-feira a sanção do presidente Michel Temer à Medida Provisória 735/16, que abre em definitivo o caminho para a privatização da Celg; o leilão está marcado para o dia 30 deste mês; Temer vetou artigos que poderiam atrapalhar a venda da companhia ou mesmo impedir que parte dos recursos arrecadados venham a ser destinados ao governo de Goiás; quando a MP transitou pelo Senado, Ronaldo Caiado tentou criar de todas as formas barrar a privatização da Celg e forçar que os recursos oriundos da venda fosse usados para que o Estado pagasse dívidas com a União
Diário Oficial da União publica nesta sexta-feira a sanção do presidente Michel Temer à Medida Provisória 735/16, que abre em definitivo o caminho para a privatização da Celg; o leilão está marcado para o dia 30 deste mês; Temer vetou artigos que poderiam atrapalhar a venda da companhia ou mesmo impedir que parte dos recursos arrecadados venham a ser destinados ao governo de Goiás; quando a MP transitou pelo Senado, Ronaldo Caiado tentou criar de todas as formas barrar a privatização da Celg e forçar que os recursos oriundos da venda fosse usados para que o Estado pagasse dívidas com a União (Foto: José Barbacena)

Goiás 247 - O Diário Oficial da União publica nesta sexta-feira a sanção do presidente Michel Temer à Medida Provisória 735/16, que abre em definitivo o caminho para a privatização da Celg.

Na sanção, Temer vetou artigos que poderiam atrapalhar a venda da companhia ou mesmo impedir que parte dos recursos arrecadados venham a ser destinados ao Governo de Goiás.

Quando a MP transitou pelo Senado Federal, Ronaldo Caiado tentou de todas as formas obstacular a privatização da Celg e, caso realizada, obrigar a que os recursos que caberiam ao Governo de Goiás fossem utilizados na amortização da dívida do Estado com a União.

Caiado chegou a se unir a um seu arquiinimigo, o petista Lindberg Farias, para tentar inserir uma emenda que simplesmente retirava a Celg do Plano Nacional de Desestatização. Não conseguiu.

A Medida Provisória agora convertida em lei facilita sobremaneira a transferência do controle acionário da companha elétrica goiana para o setor privado, inclusive garantindo a renovação da sua concessão por mais 30 anos.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247