TJ "depende" do Executivo para reajustar salários

Os servidores do Judiciário paralisaram as atividades por 24 horas nesta quinta em todo o estado em protesto pelo não cumprimento da data-base para reajuste salarial; Tribunal de Justiça respondeu imprensa que ainda não o fez porque "depende do Executivo, que é quem repassa os valores"; categoria rebate e afirma que a corte "independe" do governo; servidores prometem nova paralisação no próximo dia (8) se o impasse não chegar ao fim

TJ "depende" do Executivo para reajustar salários
TJ "depende" do Executivo para reajustar salários

Bahia 247

O Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) disse em nota à imprensa que ainda não reajustou o salário dos servidores por causa do Executivo, "que é quem repassa os valores". A corte afirma, contudo, que "não pode fugir da linearidade do aumento geral concedido pelo Governo do Estado".

Em resposta, o Sindicato dos Servidores Auxiliares do Poder Judiciário do Estado da Bahia (Sintaj) afirma que o Judiciário "independe do Executivo" e pode cumprir com a data-base da categoria. O acréscimo é referente à inflação do período, que seria de 5,4%, de acordo com os servidores.

Os servidores do Judiciário cruzaram os braços por 24 horas em protesto nesta quinta-feira (2) e prometeram nova paralisação na quarta-feira (8), caso o acordo não seja cumprido.

O Executivo, por sua vez, está negociando o reajuste dos servidores, pois ofereceu correção de 2,5% nos vencimentos e a categoria não aceitou. O governador Jaques Wagner (PT) abriu rodada de negociações ontem e, de antemão, já afirmou que aumento não excederá de forma alguma a inflação.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247