TJ-MG rejeita recurso do tucano Eduardo Azeredo, que pode ser preso

O TJ-MG julga, 11 anos depois de ter sido denunciado, novo recurso movido pela defesa do ex-governador de Minas Eduardo Azeredo (PSDB) para evitar que ele vá para a prisão pelo mensalão tucano; em sustentação oral durante julgamento, o procurador de Justiça Antônio de Padova Marchi Júnior pediu a prisão para cumprimento da pena de 20 anos e um mês de prisão do tucano por lavagem de dinheiro e peculato

O TJ-MG julga, 11 anos depois de ter sido denunciado, novo recurso movido pela defesa do ex-governador de Minas Eduardo Azeredo (PSDB) para evitar que ele vá para a prisão pelo mensalão tucano; em sustentação oral durante julgamento, o procurador de Justiça Antônio de Padova Marchi Júnior pediu a prisão para cumprimento da pena de 20 anos e um mês de prisão do tucano por lavagem de dinheiro e peculato
O TJ-MG julga, 11 anos depois de ter sido denunciado, novo recurso movido pela defesa do ex-governador de Minas Eduardo Azeredo (PSDB) para evitar que ele vá para a prisão pelo mensalão tucano; em sustentação oral durante julgamento, o procurador de Justiça Antônio de Padova Marchi Júnior pediu a prisão para cumprimento da pena de 20 anos e um mês de prisão do tucano por lavagem de dinheiro e peculato (Foto: Paulo Emílio)

247, com Revista FórumO Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) julga nesta terça-feira (24), 11 anos depois de ter sido denunciado, novo recurso movido pela defesa do ex-governador mineiro Eduardo Azeredo (PSDB) para evitar que ele vá para a prisão pelo esquema que ficou conhecido como mensalão tucano. Condenado em segunda instância há oito meses, Azeredo aguarda o julgamento em liberdade e pode ser o primeiro tucano a ser preso.

Em sustentação oral durante julgamento de embargos infringentes, nesta terça-feira (24), o procurador de Justiça Antônio de Padova Marchi Júnior pediu a prisão para cumprimento da pena de 20 anos e um mês de prisão do tucano por lavagem de dinheiro e peculato.

De acordo com o procurador, existem provas dos crimes de lavagem de dinheiro e peculato contra Azeredo. Marchi pediu para a Corte seguir a Súmula do Supremo Tribunal Federal, que norteia a execução de penas após o esgotamento do segundo grau de jurisdição.

Juristas ouvidos pelo UOL afirmam que, ainda que essa segunda leva de recursos seja rejeitada, Azeredo poderá recorrer novamente para evitar a prisão.

Em entrevista na semana passada, Azeredo disse esperar "que Deus ilumine os desembargadores" que julgariam seus recursos e chamou sua condenação de "tentativa de compensação" pela prisão de Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247