"Tô na sua cola", diz Jackson sobre aprovação recorde de Dilma

Vice-governador e pré-candidato a Governo em 2014, Jackson comemora os resultados da pesquisa Ibope que dá 63% de aprovação ao Governo Dilma e 79% de aprovação pessoal; "gostaram do Ibope? Na pesquisa Dilma continua disparando. Eu sei que isso dá muita dor de cotovelo. Vamos continuar trabalhando, Dilma, para chegar a 100%", disse

"Tô na sua cola", diz Jackson sobre aprovação recorde de Dilma
"Tô na sua cola", diz Jackson sobre aprovação recorde de Dilma
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sergipe 247 – “Quando vejo os números da aprovação da presidente Dilma Rousseff, só me lembro da velha canção “Disparada””. Foi desta forma que o vice-governador Jackson Barreto (PMDB) comentou, via Twitter, o resultado da pesquisa Ibope, encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), que avaliou os índices de aprovação da população brasileira com o Governo Federal.

“Gostaram do Ibope? Na pesquisa Dilma continua disparando. Eu sei que isso dá muita dor de cotovelo. Vamos continuar trabalhando, Dilma, para chegar a 100%. Tô na sua cola!”, complementou Jackson, nome do grupo formado por PT, PMDB, PSD, PSB e partidos menores para disputar a sucessão de Marcelo Déda ao Governo em 2014.

De acordo com a pesquisa, a aprovação do Governo Federal é de 63% (somados os índices de ótimo e bom). Já 79% dos brasileiros pesquisados aprovam a atuação da presidente Dilma. No Nordeste, os números são ainda mais representativos – a aprovação pessoal da petista chega a 85%.

Foto: Marcos Rodrigues

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email