TO reduz analfabetismo em maiores de 15 anos

Conforme os dados do mapa da realidade da Educação de Jovens e Adultos, feito pelo Ministério da Educação, o percentual de analfabetismo em pessoas acima de 15 anos de idade caiu de 13,6% em 2009 para pouco mais de 12% em 2013 no Tocantins; para o presidente do Conselho Estadual de Educação (CEE), Cicinato Mendes, a redução no índice de analfabetismo em pessoas maiores de 15 anos no Estado é reflexo da boa gestão dos recursos destinados à Educação de Jovens e Adultos. “Nós atribuímos este índice decrescente do Estado à política pública adotada pelos gestores. Aqueles que de fato aplicam os recursos federais nas campanhas da EJA têm resultados palpáveis”, disse

Conforme os dados do mapa da realidade da Educação de Jovens e Adultos, feito pelo Ministério da Educação, o percentual de analfabetismo em pessoas acima de 15 anos de idade caiu de 13,6% em 2009 para pouco mais de 12% em 2013 no Tocantins; para o presidente do Conselho Estadual de Educação (CEE), Cicinato Mendes, a redução no índice de analfabetismo em pessoas maiores de 15 anos no Estado é reflexo da boa gestão dos recursos destinados à Educação de Jovens e Adultos. “Nós atribuímos este índice decrescente do Estado à política pública adotada pelos gestores. Aqueles que de fato aplicam os recursos federais nas campanhas da EJA têm resultados palpáveis”, disse
Conforme os dados do mapa da realidade da Educação de Jovens e Adultos, feito pelo Ministério da Educação, o percentual de analfabetismo em pessoas acima de 15 anos de idade caiu de 13,6% em 2009 para pouco mais de 12% em 2013 no Tocantins; para o presidente do Conselho Estadual de Educação (CEE), Cicinato Mendes, a redução no índice de analfabetismo em pessoas maiores de 15 anos no Estado é reflexo da boa gestão dos recursos destinados à Educação de Jovens e Adultos. “Nós atribuímos este índice decrescente do Estado à política pública adotada pelos gestores. Aqueles que de fato aplicam os recursos federais nas campanhas da EJA têm resultados palpáveis”, disse (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Tocantins 247 - Durante o Fórum Nacional dos Conselhos Estaduais de Educação da Região Norte, que foi realizado no auditório do Memorial Coluna Prestes, em Palmas, o representante do Ministério da Educação (MEC), Mauro José da Silva, apresentou o mapa da realidade da Educação de Jovens e Adultos no País e os programas que o governo federal realiza em parceria com os estados. Ele é da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi) do MEC e demonstrou os dados durante a palestra “EJA em diferentes cenários”.

O relatório apresentado pelo representante do MEC no Fórum apontou uma melhora nos índices de combate ao analfabetismo entre jovens e adultos no Tocantins. Conforme os dados do levantamento do Ministério da Educação, o mais novo Estado da federação saiu de 13,6% de analfabetos em 2009 para pouco mais de 12% em 2013.

Para o presidente do Conselho Estadual de Educação (CEE), Cicinato Mendes, a redução no índice de analfabetismo em pessoas maiores de 15 anos no Estado é reflexo da boa gestão dos recursos destinados à Educação de Jovens e Adultos. “Nós atribuímos este índice decrescente do Estado à política pública adotada pelos gestores. Aqueles que de fato aplicam os recursos federais nas campanhas da EJA têm resultados palpáveis”, disse.

Em sua palestra, Mauro José da Silva apresentou ainda a situação contrastante da EJA no Brasil. De acordo com ele, há atualmente 42,3 milhões de brasileiros, com idade acima de 15 anos, que não frequentam escola ou sequer concluíram o ensino fundamental. No País, segundo o representante do MEC, ainda existe uma população de 13,5 milhões de analfabetos e o analfabetismo atinge com maior impacto pessoas negras, pessoas com idade acima de 40 anos e moradores de regiões rurais.

Mauro explicou que é preciso entender o processo para se realizar as ações de incentivos para que os adultos voltem a frequentar uma escola. “Precisamos ter o cuidado para que as pessoas atendidas pelo Programa Brasil Alfabetização continuem estudando, isso é um processo, se parar, não teremos bons resultados”, esclareceu.

Plenária final

O Fórum prossegue neste sábado, 9, com a realização da plenária, às 9 horas, sob a coordenação da professora Suely Melo de Castro Menezes, presidente do Conselho de Educação do Pará e presidente do Fórum Nacional de Conselhos de Educação da Região Norte. (Da Seduc)

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247