Torcedores do Paraná usam o Bolsa Família para agredir time do Nordeste

Torcedores do Paraná Clube promoveram uma cena lamentável durante jogo nesta quarta-feira 19 ao usar o Bolsa Família para agredir jogadores do rival Vitória, da Bahia; cerca de 20 torcedores do Paraná entoaram coros de "Vão trabalhar, seus Bolsa Família"; Bahia é o Estado com maior número de beneficiários do programa, com cerca de 2,5 milhões de famílias atendidas; partida pela quarta fase da Copa do Brasil terminou em 0 X 0

Torcedores do Paraná Clube promoveram uma cena lamentável durante jogo nesta quarta-feira 19 ao usar o Bolsa Família para agredir jogadores do rival Vitória, da Bahia; cerca de 20 torcedores do Paraná entoaram coros de "Vão trabalhar, seus Bolsa Família"; Bahia é o Estado com maior número de beneficiários do programa, com cerca de 2,5 milhões de famílias atendidas; partida pela quarta fase da Copa do Brasil terminou em 0 X 0
Torcedores do Paraná Clube promoveram uma cena lamentável durante jogo nesta quarta-feira 19 ao usar o Bolsa Família para agredir jogadores do rival Vitória, da Bahia; cerca de 20 torcedores do Paraná entoaram coros de "Vão trabalhar, seus Bolsa Família"; Bahia é o Estado com maior número de beneficiários do programa, com cerca de 2,5 milhões de famílias atendidas; partida pela quarta fase da Copa do Brasil terminou em 0 X 0 (Foto: Paulo Emílio)

247 - O jogo entre Paraná Clube e o Vitória da Bahia, pela quarta fase da Copa do Brasil, foi marcado não pelo futebol, mas pelas ofensas contra o time do Nordeste. Segundo a repórter do GloboEsporte.com Gabriela Ribeiro, que cobria a partida, cerca de 20 torcedores do Paraná entoaram coros de "Vão trabalhar, seus Bolsa Família". A Bahia é o Estado com maior número de beneficiários do Bolas Família, com cerca de 2,5 milhões de famílias atendidas pelo programa social.

"Torcedores do Paraná gritam "Bolsa Família" para ofender torcedores do Vitória. Se isso não é lamentável, não sei o que é", escreveu Gabriela Ribeiro nas redes sociais. O jogo terminou empatado em 0 X 0. 

O Paraná Clube, por meio de sua assessoria de imprensa, afirmou que o ocorrido foi "um caso isolado", com a participação de um pequeno grupo em meio a mais de 7 mil torcedores. O clube também disse repudiar quaisquer tipo de discriminação ou preconceito e relembrou que, em 2014, quando o volante Marino, do São Bernardo, acusou um torcedor paranista de racismo por tê-lo chamado de "macaco", atuou para identificar o autor da agressão.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247