TRF determina arquivamento da Operação Turbulência

Segunda Turma do Tribunal Regional Federal da 5.ª Região (TRF5), em Recife, determinou o arquivamento da Operação Turbulência, que investiga crimes de lavagem de dinheiro por parte de uma organização criminosa que teria atuado no financiamento de campanhas políticas do ex-governador Eduardo Campos (PSB), falecido em um acidente aéreo na campanha presidencial de 2014, e da legenda socialista; de acordo com o TRF, a denúncia não conseguiu apontar como teria ocorrido o crime de lavagem de dinheiro, além de não ter apontado os beneficiários da propina e nem os valores envolvidos

Segunda Turma do Tribunal Regional Federal da 5.ª Região (TRF5), em Recife, determinou o arquivamento da Operação Turbulência, que investiga crimes de lavagem de dinheiro por parte de uma organização criminosa que teria atuado no financiamento de campanhas políticas do ex-governador Eduardo Campos (PSB), falecido em um acidente aéreo na campanha presidencial de 2014, e da legenda socialista; de acordo com o TRF, a denúncia não conseguiu apontar como teria ocorrido o crime de lavagem de dinheiro, além de não ter apontado os beneficiários da propina e nem os valores envolvidos
Segunda Turma do Tribunal Regional Federal da 5.ª Região (TRF5), em Recife, determinou o arquivamento da Operação Turbulência, que investiga crimes de lavagem de dinheiro por parte de uma organização criminosa que teria atuado no financiamento de campanhas políticas do ex-governador Eduardo Campos (PSB), falecido em um acidente aéreo na campanha presidencial de 2014, e da legenda socialista; de acordo com o TRF, a denúncia não conseguiu apontar como teria ocorrido o crime de lavagem de dinheiro, além de não ter apontado os beneficiários da propina e nem os valores envolvidos (Foto: Paulo Emílio)

Pernambuco 247 - A Segunda Turma do Tribunal Regional Federal da 5.ª Região (TRF5), em Recife, determinou o arquivamento da Operação Turbulência, que investiga crimes de lavagem de dinheiro por parte de uma organização criminosa que teria atuado no financiamento de campanhas políticas do ex-governador Eduardo Campos (PSB), falecido em um acidente aéreo na campanha presidencial de 2014, e da legenda socialista. Por dois votos a um, os magistrados concluíram que não existem provas dos crimes investigados.

Deflagrada em junho de 2016, as investigações da Operação Turbulência resultaram em denúncias contra 18 investigados que, segundo o Ministério Público Federal em Pernambuco, teriam cometido crimes contra o sistema financeiro, pagamento de propinas e lavagem de dinheiro procedente de obras públicas superfaturadas.

De acordo com o TRF, a denúncia não conseguiu apontar com exatidão como teria ocorrido o crime de lavagem de dinheiro, além de não ter apontado os beneficiários da propina e nem os valores envolvidos.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247