TRF4, que julgará Lula, gastou mais de R$ 8 mi com publicidade em 2017

Dados internos do TRF4, presidido pelo desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores, apontam uma soma de R$ 8 milhões para gastos com produções jornalísticas, serviços de áudio, vídeo e fotos; em 2013, os valores que o Tribunal reservou aos serviços jornalísticos e publicitários somaram aproximadamente R$ 3 milhões; em 2014 e 2015 o valor ficou em torno de R$ 7 milhões; no ano seguinte, as despesas chegaram a mais de R$ 12 milhões e, em 2017, foram empenhados quase R$ 15 milhões dos cofres públicos para os gastos com publicidade do tribunal, mas foram gastos R$ 8,6 milhões

Dados internos do TRF4, presidido pelo desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores, apontam uma soma de R$ 8 milhões para gastos com produções jornalísticas, serviços de áudio, vídeo e fotos; em 2013, os valores que o Tribunal reservou aos serviços jornalísticos e publicitários somaram aproximadamente R$ 3 milhões; em 2014 e 2015 o valor ficou em torno de R$ 7 milhões; no ano seguinte, as despesas chegaram a mais de R$ 12 milhões e, em 2017, foram empenhados quase R$ 15 milhões dos cofres públicos para os gastos com publicidade do tribunal, mas foram gastos R$ 8,6 milhões
Dados internos do TRF4, presidido pelo desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores, apontam uma soma de R$ 8 milhões para gastos com produções jornalísticas, serviços de áudio, vídeo e fotos; em 2013, os valores que o Tribunal reservou aos serviços jornalísticos e publicitários somaram aproximadamente R$ 3 milhões; em 2014 e 2015 o valor ficou em torno de R$ 7 milhões; no ano seguinte, as despesas chegaram a mais de R$ 12 milhões e, em 2017, foram empenhados quase R$ 15 milhões dos cofres públicos para os gastos com publicidade do tribunal, mas foram gastos R$ 8,6 milhões (Foto: Leonardo Lucena)

Rio Grande do Sul 247 - Dados internos do Tribunal Regional Federal da 4ª (TRF4) apontam uma soma de R$ 8 milhões para gastos com produções jornalísticas, serviços de áudio, vídeo e fotos. Segundo o Nocaute.blog.br, o orçamento do tribunal subiu 444,3%. Em três anos aumentou em cinco vezes o valor de seu orçamento com publicidade.

Em 2013, os valores que o Tribunal reservou aos serviços jornalísticos e publicitários somaram aproximadamente R$ 3 milhões. Em 2014 e 2015 o valor ficou em torno de R$ 7 milhões. Em 2016, as despesa chegaram a mais de R$ 12 milhões e, em 2017, foram empenhados quase R$ 15 milhões dos cofres públicos para os gastos com publicidade do tribunal, mas foram gastos R$ 8,6 milhões.

Por email, a assessoria disse que o "tribunal não tem gasto específico com publicidade, não há contratação de agência ou qualquer divulgação institucional em veículos de comunicação. Todo o trabalho de comunicação do TRF4 é desenvolvido pela Comunicação Social do TRF4".

"Temos uma rubrica específica, chamada – Comunicação e Divulgação Institucional – utilizada prioritariamente para produção do Programa Via Legal, uma parceria entre o Conselho da Justiça Federal (CJF) e os cinco TRFs do país, que há mais de 16 anos produz matérias jornalísticas sobre decisões da Justiça Federal, sendo que cada TRF produz na sua região de atuação. O programa é veiculado na TV Cultura de SP e em todas as emissoras educativas da rede e, também, na TV Justiça . Por meio de matérias jornalísticas que dão voz às partes dos processos e demonstram os direitos de muitas pessoas, o Via Legal já conquistou diversos prêmios de jornalismo, como Prêmio Vladimir Herzog de Direitos Humanos e Prêmio Esso de Jornalismo".

Segundo o texto, "até 2015, o CJF centralizava e gerenciava a contratação das equipes. Desde 2016, o CJF repassa a verba específica aos TRFs para contratação, sendo que os tribunais ficam responsáveis pela licitação e contratação do serviço, realizado pela produtora vencedora: 'serviços continuados em jornalismo, de produção para televisão, mídia eletrônica e plataformas digitais de produtos audiovisuais, documentais e educativos, bem como de reportagens jornalísticas'. Sendo que até então, o TRF4 não tinha esse gasto que, hoje , tem repasse orçamentário feito pelo CJF".

"No exercício de 2017, por exemplo, foram empenhados R$ 496.694,00 (quatrocentos e noventa e seis mil seiscentos e noventa e quatro reais) e pagos R$ 481.144,00 (quatrocentos e oitenta e um mil cento e quarenta e quatro reais), sendo que dos valores acima, 98% são relativos à manutenção de contrato para o funcionamento do programa. Em exercícios anteriores a situação é semelhante", continua.

Ainda de acordo com a resposta da assessoria do TRF4, "as informações se encontram disponíveis no sítio do Tribunal, e podem ser obtidas acessando o seguinte ambiente: 'Transparência/Tribunal Regional Federal da 4ª Região/Mapa Demonstrativo da Execução Orçamentária do TRF e JF de 1º Grau – Resolução nº 195/2014, onde estão informações dos exercícios de 2014/2015/2016/2017'".

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247