TRT busca acordo para por fim à greve de rodoviários

Representantes das empresas de ônibus e trabalhadores do setor reúnem-se no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), em Belo Horizonte, na tentativa de chegar a um acordo que ponha fim à greve dos rodoviários; a paralisação afeta Belo Horizonte e região metropolitana

Representantes das empresas de ônibus e trabalhadores do setor reúnem-se no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), em Belo Horizonte, na tentativa de chegar a um acordo que ponha fim à greve dos rodoviários; a paralisação afeta Belo Horizonte e região metropolitana
Representantes das empresas de ônibus e trabalhadores do setor reúnem-se no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), em Belo Horizonte, na tentativa de chegar a um acordo que ponha fim à greve dos rodoviários; a paralisação afeta Belo Horizonte e região metropolitana (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Da Agência Brasil

Representantes das empresas de ônibus e trabalhadores do setor reúnem-se hoje (25) à tarde no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), em Belo Horizonte, na tentativa de chegar a um acordo que ponha fim à greve dos rodoviários, iniciada ontem (24). A paralisação afeta Belo Horizonte e região metropolitana.

Participam da reunião, prevista para as 16h30, o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros Metropolitanos (Sintram), a Federação dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado de Minas Gerais e o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de BH e Região (STTRBH).

Uma liminar, requerida pelo Sintram, foi deferida no sábado (22) pelo juiz do TRT Ricardo Marcelo Silva. Nela, o magistrado determina que pelo menos 70% dos trabalhadores mantenham o serviço em funcionamento, nos horários de pico. Efetivo que pode cair para pelo menos 50% dos trabalhadores nos demais horários.

A determinação abrange as linhas da frota de transporte coletivo da capital e da região metropolitana. Caso não cumpra a determinação, o sindicato dos trabalhadores terá que pagar multa diária de R$ 50 mil.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email