TSE libera registro de candidatura de Maluf

Os ministros aceitaram recurso da defesa do candidato e entenderam que Paulo Maluf (PP-SP) está liberado para ser diplomado, porque ele não se enquadra na Lei da Ficha Limpa; de acordo com o tribunal, não houve dolo na condenação por improbidade

Os ministros aceitaram recurso da defesa do candidato e entenderam que Paulo Maluf (PP-SP) está liberado para ser diplomado, porque ele não se enquadra na Lei da Ficha Limpa; de acordo com o tribunal, não houve dolo na condenação por improbidade
Os ministros aceitaram recurso da defesa do candidato e entenderam que Paulo Maluf (PP-SP) está liberado para ser diplomado, porque ele não se enquadra na Lei da Ficha Limpa; de acordo com o tribunal, não houve dolo na condenação por improbidade (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

André Richter - Repórter da Agência Brasil

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) liberou nesta quarta-feira 17 o registro de candidatura do deputado federal Paulo Maluf (PP-SP). Os ministros aceitaram recurso da defesa do candidato e entenderam que Maluf está liberado para ser diplomado, porque ele não se enquadra na Lei da Ficha Limpa. De acordo com o tribunal, não houve dolo na condenação por improbidade.

Ele disputou as eleições com a candidatura barrada com base na Lei da Ficha Limpa, norma que impede a participação de políticos condenados pela segunda instância da Justiça. Mesmo impedido de concorrer, Maluf recebeu mais de 250 mil votos, sendo o oitavo deputado mais votado em São Paulo. A aprovação da candidatura provocará mudanças na bancada eleita pelo estado. A recontagem será feita pelo Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP).

Em setembro, o TRE-SP indeferiu a candidatura de Maluf. Em novembro de 2013, a 10ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo manteve condenação por ato de improbidade administrativa. O tribunal considerou que houve irregularidades nos contratos para construção do Complexo Viário Ayrton Senna, quando o deputado ainda era prefeito da cidade. No primeiro recurso ao TSE, o tribunal manteve a decisão que barrou Maluf.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247