Uber: ‘Não padronização dificulta fiscalização’

Em entrevista coletiva nesta quinta-feira, o secretário de Mobilidade de Salvador, Fábio Mota, disse que a fiscalização de carros do serviço de transporte privado Uber "é mais complicada" na capital baiana do que no restante do país por falta de padronização; "Continuamos realizando as operações, mas em Salvador o Uber tem um elemento dificultador, porque nas outras capitais ele é padronizado com carros pretos, e o tipo que veio para cá tem de várias cores. Por conta dessa dificuldade, até agora foram apreendidos dois carros"; o secretário voltou a afirmar que o serviço é considerado ilegal pela prefeitura

Em entrevista coletiva nesta quinta-feira, o secretário de Mobilidade de Salvador, Fábio Mota, disse que a fiscalização de carros do serviço de transporte privado Uber "é mais complicada" na capital baiana do que no restante do país por falta de padronização; "Continuamos realizando as operações, mas em Salvador o Uber tem um elemento dificultador, porque nas outras capitais ele é padronizado com carros pretos, e o tipo que veio para cá tem de várias cores. Por conta dessa dificuldade, até agora foram apreendidos dois carros"; o secretário voltou a afirmar que o serviço é considerado ilegal pela prefeitura
Em entrevista coletiva nesta quinta-feira, o secretário de Mobilidade de Salvador, Fábio Mota, disse que a fiscalização de carros do serviço de transporte privado Uber "é mais complicada" na capital baiana do que no restante do país por falta de padronização; "Continuamos realizando as operações, mas em Salvador o Uber tem um elemento dificultador, porque nas outras capitais ele é padronizado com carros pretos, e o tipo que veio para cá tem de várias cores. Por conta dessa dificuldade, até agora foram apreendidos dois carros"; o secretário voltou a afirmar que o serviço é considerado ilegal pela prefeitura (Foto: Romulo Faro)

Bahia 247 - Em entrevista coletiva na seda da prefeitura nesta quinta-feira (14), o secretário de Mobilidade de Salvador (Semob), Fábio Mota, disse que a fiscalização de carros do serviço de transporte privado Uber "é mais complicada" na capital baiana do que no restante do país por falta de padronização.

"Continuamos realizando as operações, mas em Salvador o Uber tem um elemento dificultador, porque nas outras capitais ele é padronizado com carros pretos, e o tipo que veio para cá tem de várias cores. Por conta dessa dificuldade, até agora foram apreendidos dois carros", disse Fábio Mota.

O secretário voltou a afirmar que o serviço é considerado ilegal pela prefeitura. "A Constituição prevê que quem regulamenta transportes na cidade é o município. Salvador já tem os táxis regulamentados e o Uber é um concorrente desleal do táxi", disse Fábio Mota.

O Brasil 247 quer a sua ajuda para tomar decisões importantes. Participe da pesquisa

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247