Valente: PSDB tenta se esconder, mas é impossível

De acordo com o deputado Ivan Valente (Psol-SP), o "PSDB tenta se esconder, mas é impossível: o partido deu mais apoio aos projetos de Temer do que o próprio MDB do presidente golpista. Sabe quem em nenhum momento apoiou os projetos desse desgoverno? O PSOL. Nenhum voto em golpista da nossa parte. Aqui tem coerência!"

De acordo com o deputado Ivan Valente (Psol-SP), o "PSDB tenta se esconder, mas é impossível: o partido deu mais apoio aos projetos de Temer do que o próprio MDB do presidente golpista. Sabe quem em nenhum momento apoiou os projetos desse desgoverno? O PSOL. Nenhum voto em golpista da nossa parte. Aqui tem coerência!"
De acordo com o deputado Ivan Valente (Psol-SP), o "PSDB tenta se esconder, mas é impossível: o partido deu mais apoio aos projetos de Temer do que o próprio MDB do presidente golpista. Sabe quem em nenhum momento apoiou os projetos desse desgoverno? O PSOL. Nenhum voto em golpista da nossa parte. Aqui tem coerência!" (Foto: Leonardo Lucena)

SP 247 - O deputado federal Ivan Valente (Psol-SP) criticou o PSDB, que integra a base do governo Michel Temer, mas tem o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin como pré-candidato do partido à presidência da República. 

"O PSDB tenta se esconder, mas é impossível: o partido deu mais apoio aos projetos de Temer do que o próprio MDB do presidente golpista. Sabe quem em nenhum momento apoiou os projetos desse desgoverno? O PSOL. Nenhum voto em golpista da nossa parte. Aqui tem coerência!", escreveu o parlamentar no Twitter.

Alckmin terá a difícil tarefa de explicar por que seu partido fez parte do governo Temer, rejeitado pela quase totalidade dos brasileiros. Depois de fechar 2017 com mais cortes do que contratações, o País viu o desemprego aumentar neste ano. A taxa de desemprego no Brasil subiu para 13,1% no primeiro trimestre do ano. No último trimestre de 2017, atingiu 11,8%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, divulgada hoje (27) pelo IBGE, no Rio de Janeiro.

O tucano também precisa decolar nas pesquisas. De acordo com levantamento feito pelo instituto MDA para a Confederação Nacional dos Transportes (CNT), divulgado no dia 14 de maio, Bolsonaro assegura a segunda posição, com 16,7% dos votos na modalidade estimulada, atrás do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com Lula 32,4%.

Na sequência aparecem Marina Silva, da Rede (7,6%), Ciro Gomes, do PDT (5,4%), Geraldo Alckmin, do PSDB (4,0%), Álvaro Dias, do Podemos (2,5%), Fernando Collor, do PSC (0,9%), Michel Temer, do MDB, com 0,9 (ele não é mais pré-candidato), Guilherme Boulos, do Psol (0,5%), Manuela D´Ávila, do PCdoB (0,5%), João Amoêdo, do Partido Novo (0,4%), Flávio Rocha, do PRB (0,4%), Henrique Meirelles, do MDB (0,3%), Rodrigo Maia, do DEM (0,2%), Paulo Rabello de Castro, do PSC (0,1%), Branco/Nulo 18,0%, Indecisos 8,7%.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247