Vaz insiste contra venda do Batalhão Anhanguera

Vereador, que teve emenda rejeitada na revisão do Plano Diretor, propõe desta vez Projeto de Lei Complementar incluindo a unidade militar entre as áreas de Programas Especiais de Interesse Urbanístico da Capital; texto foi apresentado na sessão plenária dessa terça-feira (7); objetivo, segundo o vereador, é proteger a área, considerada por ele patrimônio histórico e ambiental de Goiânia, “contra interesses privados”

Vaz insiste contra venda do Batalhão Anhanguera
Vaz insiste contra venda do Batalhão Anhanguera

Goiás247_ Após ter rejeitada emenda ao projeto de Revisão do Plano Diretor, o Vereador Elias Vaz tenta novamente incluir o Batalhão Anhanguera como Área de Proteção Especial. Dessa vez, trata-se de um Projeto de Lei Complementar para alterar o artigo 132 do plano Diretor incluindo o Batalhão em "áreas de Programas Especiais de Interesse Urbanístico da capital". O novo projeto foi apresentado na sessão plenária dessa terça-feira (7). O objetivo é proteger área do Batalhão Anhanguera, que é um patrimônio histórico e ambiental de Goiânia, contra interesses privados. "Vender essa área é desrespeitar mais uma vez a história de Goiânia, a exemplo do que ocorreu com o Estádio Olímpico" enfatizou o vereador.

O projeto propõe alteração do artigo 132 do Plano Diretor acrescentando o Batalhão Anhanguera como Área Especial de Interesse Urbanístico, semelhante a outros que já estão nessa condição, por exemplo - o Autódromo Internacional de Goiânia, Parque Agropecuário e Hipódromo da Lagoinha. O resultado disso é que qualquer "alteração de uso" dependerá de apresentação de uma lei específica aprovada pela Câmara Municipal.

O artigo 132 do PD especifica algumas áreas de Goiânia que, por suas características, qualquer outra destinação que não a vigente, pode alterar definitivamente não só a paisagem local, mas impactar negativamente a qualidade de vida dos moradores de toda uma região, sem contar nos graves problemas ambientais. Por isso, essas áreas são incluídas em um artigo especial que impõe mais rigor, qualquer alteração tem que passar por votação na Câmara de vereadores.

História

Primeiro Batalhão a ser instalado em Goiânia, o prédio histórico do Batalhão Anhanguera está ameaçado de deixar de existir. O Estado divulgou recentemente a disposição em vender a área para o setor privado. Elias Vaz suspeita que há interesse em utilizar o local para construção de um shopping, fato que causaria grande impacto na região, não só urbanístico e histórico, mas principalmente ambiental.

O Projeto de Lei Complementar proposto pelo vereador protege a área, prevê que o uso do local só poderá ser alterado por lei específica, aprovada pela Câmara Municipal.

Situado no setor Marista, bairro nobre da capital, o Batalhão tem localização estratégica de acesso rápido a vários bairros dessa região, constituindo-se em importante área de segurança. Para Elias Vaz, com o problema da violência urbana, "é inadmissível alterar essa importante localização de um ponto estratégico de segurança na capital". No local estão sediados, por exemplo, o Grupamento Aéreo (GRAER) e outras Unidades Especiais. "Estive lá no Batalhão, vários oficiais manifestaram a preocupação com essa possível mudança, já que isso vai alterar o sistema de segurança naquela região" explicou Elias Vaz.

Instalado na Alameda Americano do Brasil, o Batalhão Anhanguera foi o primeiro de Goiânia. Faz parte da história da Polícia Militar e da capital goiana devendo, inclusive, ser tombado como patrimônio histórico e cultural da cidade, alega o vereador.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247