Vereador vai custar até 141% a mais em Minas

Aumento vem não apenas dos reajustes aprovados pelos próprios legisladores em seus contracheques, mas também das 569 novas cadeiras aprovados pelas Câmaras Municipais em todo o estado

Vereador vai custar até 141% a mais em Minas
Vereador vai custar até 141% a mais em Minas
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Minas 247 - Duas decisões tomadas pelos próprios vereadores da capital e do interior mineiro vai elevar substancialmente os custos com as Câmaras Municipais no estado. Além de terem aprovado, em várias cidades, o aumento do número de parlamentares -- no total, foram criadas 569 cadeiras de vereador --, eles também decidiram, na maioria das vezes em reuniões extraordinárias nos últimos dias da última legislatura, reajustes que chegam a 141% (caso de Ouro Preto).

Leia trecho da matéria de Aline Labbate, do jornal Hoje em Dia:

As Câmaras Municipais de Minas iniciam o ano com 569 novas cadeiras de vereador, e a maioria dos ocupantes terá um contra-cheque mais gordo. Os projetos aprovados pelas próprias Casas para ampliar o número de representantes e aumentar os salários da legislatura que se inicia não vão sair barato para o contribuinte. Em alguns casos, os Legislativos vão gastar 140% a mais somente para arcar com a folha de pagamento dos parlamentares em 2013.

É o caso de Ouro Preto, na região Central do Estado. Até o ano passado, o Parlamento da cidade tinha dez vereadores, que recebiam R$ 4.980 cada. Em outubro, foram eleitos 15, que assumiram o mandato no dia 1º de janeiro recebendo R$ 8.016,94: um aumento de 61% nos vencimentos. 

Assim, a Casa, que, em 2012, empenhou R$ 647,4 mil com a folha de pagamento de seus parlamentares, neste ano, deve gastar cerca de R$ 1,56 milhão, ou seja, 141% a mais.

O cálculo estimado leva em conta somente o pagamento de 13 salários anuais por vereador, sem contar com a estrutura física e de pessoal para atender aos novos gabinetes, nem com o valor da verba indenizatória - que varia em cada caso.

Entre as cidades que aprovaram o aumento das cadeiras de suas Câmaras e o reajuste dos rendimentos dos ocupantes, Montes Claros, no Norte de Minas, e Betim, na região metropolitana da capital, também terão o custo para manter os vereadores mais do que dobrado a partir deste ano: 124% e 117%, respectivamente. 

No caso de Montes Claros, os 15 vereadores da legislatura passada custaram cerca de R$ 1,87 milhão em 2012. Agora, os 23 eleitos, com salário 46% maior, vão custar R$ 4,19 milhões. Para se ter ideia, o novo salário, de R$ 14.029,65, é 13% superior ao vencimento dos parlamentares da capital mineira, que foi a R$ 12.400.

Em Betim, o número de representantes subiu de 17 para 23, que passam a ganhar R$ 12.025 mensais. Até o ano passado, o valor era de R$ 7.500. Com o aumento de quase 50% no número de cadeiras e superior a 60% nos salários, a Câmara da cidade vai ver a folha de pagamento de seus titulares subir de R$ 1,65 milhão para R$ 3,59 milhão.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email