Videorreportagem mostra caso da invasão de PMs em audiência pública em Santos

Estudantes e professores, que foram intimidados por um grupo de policiais militares em universidade, explicam o que ocorreu na última sexta (11) no campus da Unifesp em Santos; na ocasião, cerca de 100 policiais invadiram o local, intimidando estudantes e professores durante a discussão do Plano Estadual de Educação em Direitos Humanos de São Paulo; assista à videorreportagem publicada pela Revista Fórum

Estudantes e professores, que foram intimidados por um grupo de policiais militares em universidade, explicam o que ocorreu na última sexta (11) no campus da Unifesp em Santos; na ocasião, cerca de 100 policiais invadiram o local, intimidando estudantes e professores durante a discussão do Plano Estadual de Educação em Direitos Humanos de São Paulo; assista à videorreportagem publicada pela Revista Fórum
Estudantes e professores, que foram intimidados por um grupo de policiais militares em universidade, explicam o que ocorreu na última sexta (11) no campus da Unifesp em Santos; na ocasião, cerca de 100 policiais invadiram o local, intimidando estudantes e professores durante a discussão do Plano Estadual de Educação em Direitos Humanos de São Paulo; assista à videorreportagem publicada pela Revista Fórum (Foto: Charles Nisz)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Revista Fórum - Na última sexta-feira (11), cerca de 100 policiais invadiram o campus Baixada Santista da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Com atitudes agressivas e desrespeitosas, o grupo intimidou estudantes e professores que estiveram presentes na audiência pública, que discutiu o texto do Plano Estadual de Educação em Direitos Humanos de São Paulo, convocada pelo Conselho Estadual da Condição Humana.

Alguns policiais seguravam placas com dizeres “Bolsonaro 2018” e “Direitos humanos para humanos direitos” e entre as propostas estavam “mudar a nomenclatura Ditadura Militar de 1964 para Revolução de 1964” e “retirar a discussão de direitos humanos nas escolas”.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email