Violência: Estudantes se agridem em escola de AL

Duas adolescentes, alunas da Escola Estadual Padre Aurélio de Góes, em Junqueiro, no Agreste de Alagoas, trocaram socos e pontapés após uma delas chamar a outra de "rodada" em post no Facebook; tudo aconteceu durante o intervalo, enquanto as alunas trocavam ofensas, alguns colegas de classe gritavam para incentivar a agressão mútua, até que a adolescente que teria sido ofendida acerta a rival com um tapa, dando início à série de agressões; falta de bons exemplos na sociedade, especialmente na política, além da violência e intolerância, são algumas das explicações para o momento atípico que o País enfrenta 

Alagoas 247 - Sob aplausos e muita gritaria, alunos da Escola Estadual Padre Aurélio de Góes, localizada na cidade Junqueiro, Agreste de Alagoas, filmaram duas adolescentes trocando socos e pontapés após uma delas chamar a outra de "rodada" em post no Facebook.

O caso aconteceu na quinta-feira (10) e as imagens ganharam logo ganharam as redes sociais. Ao tomar conhecimento das agressões, a direção da escola, por sua vez, garantiu já adotar as medidas pedagógicas cabíveis, convocando os pais de ambas para uma reunião nesta segunda-feira (14). 

Nas imagens, é possível constatar que a adolescente que teria sido ofendida na referida postagem, dirigindo-se à colega que a teria ofendido. No corredor da unidade de ensino, ela a desafia chamá-la, pessoalmente, de "rodada", quando a discussão tem início.

Tudo aconteceu durante o intervalo. Enquanto as alunas trocavam ofensas, alguns colegas de classe gritavam para incentivar a agressão mútua, até que a adolescente que teria sido ofendida acerta a rival com um tapa, dando início à série de agressões. "Diferente de você, eu não pego qualquer coisa não. Me respeite. Me chama de 'rodada' agora, aqui na minha frente", disse a estudante que alegou ter sido ofendida, antes de atingi-la no rosto. 

Segundo o diretor da escola, José Edvaldo e Silva, a unidade não comunga com qualquer tipo de agressão. Ainda conforme o diretor, a agressão é um fato isolado e que pegou todos os educadores de surpresa, "pois, a escola, inclusive, não tem histórico nesse sentido". 

"Eu repudio este tipo de situação. Assim que a escola tomou conhecimento do fato, chamamos os responsáveis das adolescentes, que foram informados do episódio. Iremos tomar uma medida pedagógica, a fim de que ato dessa natureza não se repita. Caso tenhamos outro caso semelhante, outras medidas poderão ser adotadas, como acionar o Conselho Tutelar ou mesmo o Ministério Público", expôs o diretor, sobre a troca de agressões que só chegou ao fim após a intervenção de outros alunos. 

E também em repúdio à briga registrada na unidade, ex-alunos recorreram às redes sociais para externar o sentimento que ainda nutrem pela escola, condenando o ato.

Com gazetaweb.com

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247