Vivendi diz que deixou de controlar Telecom Italia após assembleia de acionistas

O governo italiano considera a Telecom Italia como de importância estratégica nacional. No ano passado, Roma usou suas golden shares para assegurar direito de manifestar sobre decisões estratégicas da empresa.

Vivendi diz que deixou de controlar Telecom Italia após assembleia de acionistas
Vivendi diz que deixou de controlar Telecom Italia após assembleia de acionistas
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

(Reuters) - A Vivendi afirmou nesta sexta-feira que deixou de controlar a Telecom Italia e por isso a questão do governo italiano exercer poder especial sobre a empresa não é mais relevante.

“Todas as coisas como poderes de golden shares... vão desaparecer”, disse um porta-voz da Vivendi presente na assembleia de acionistas da Telecom Italia, que controla a TIM no Brasil.

O fundo ativista Elliot assegurou dois terços dos assentos no conselho de administração da Telecom Italia após assembleia de acionistas, superando a Vivendi.

O governo italiano considera a Telecom Italia como de importância estratégica nacional. No ano passado, Roma usou suas golden shares para assegurar direito de manifestar sobre decisões estratégicas da empresa.

O porta-voz afirmou que o Elliot conseguiu vitória na assembleia desta sexta-feira por causa do apoio do banco estatal CDP, que tem participação na Telecom Italia.

“Não é uma vitória guiada pelo mercado porque o governo é uma agência do governo que participou da votação em favor do fundo de hedge americano em vez de um acionista industrial de longo prazo”, disse ele.

Por Agnieszka Flak

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247