Vizinho de dinossauros: nova espécie extinta descoberta na Argentina

A nova espécie de rincossauros permite conhecer melhor a evolução precoce deste grupo no noroeste da Argentina

Hyperodapedon huxleyi, uma espécie de rincossauro do final do Triássico da Índia
Hyperodapedon huxleyi, uma espécie de rincossauro do final do Triássico da Índia (Foto: Nobu Tamura)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik - Pesquisadores argentinos descobriram uma nova espécie de rincossauro, animal quadrúpede e herbívoro de três metros de comprimento que compartilhou seu habitat com os primeiros dinossauros.

Os cientistas descobriram uma nova espécie de rincossauro no Parque Nacional de Talampaya, na província argentina de La Rioja, segundo estudo publicado na revista científica Journal of Systematic Palaentology.

"Foram encontrados fragmentos do crânio desta nova espécie, incluindo o pré-maxilar, maxilar e dentário, parte do sacro, as primeiras vértebras da cauda e parte do quadril", afirmou Martín Ezcurra, autor principal do estudo.

O crânio tem uma dentição muito específica, composta por numerosas fileiras de dentes e um bico ósseo no focinho que poderia ter servido para o processamento de alimentos antes de serem engolidos. "O que bem é diferente da maioria dos répteis", acrescentou Ezcurra.

Os rincossauros tinham as pernas voltadas para os lados do corpo e a barriga perto do chão, tal como os lagartos-marau, que vivem atualmente. Estes animais foram herbívoros e teriam familiaridade distante com crocodilos e dinossauros.

A espécie descoberta chama-se Elorhynchus carrolli, em memória da bióloga Eloisa Argarañaz, que participou da pesquisa. A cientistas morreu em agosto de 2014, de uma doença fulminante, de acordo com a Agência CTyS-UNLaM.

Elorhynchus carrolli é a espécie mais antiga de rincossauros de todos os exemplares conhecidos na Argentina, informou Ezcurra.

"São conhecidos muitos exemplares de rincossauros na Argentina, mas todos pertencem a uma espécie que se chama Hyperodapedon ischigualastensis, e esta era a única espécie conhecida em nosso país até agora. Ao conhecermos Elorphynchus carrolli, a qual é anterior a conhecida, podemos distingui-las por características certas em seu quadril e nas primeiras vértebras da cauda", disse Ezcurra.

A nova espécie de rincossauros permite conhecer melhor a evolução precoce deste grupo no noroeste da Argentina.

"Em particular, [essa nova descoberta] nos permite observar como ocorreu a transição dos rincossauros que viveram antes do surgimento dos primeiros dinossauros, até os rincossauros que chegaram a conviver com estes répteis há 233 milhões de anos, até sua extinção, há 227 milhões de anos", segundo o cientista.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email