"Você nomeia o secretário, não o governador"

O senador e pré-candidato ao Governo do Estado de Pernambuco pelo PTB, Armando Monteiro Neto, rompeu o silêncio e comentou a formação da chapa escolhida pelo governador e presidenciável Eduardo Campos (PSB); “Você nomeia um secretário, mas não nomeia um governador. Governador quem elege é o povo”, disse; a referência se deve ao fato do candidato indicado por Campos para disputar a sua sucessão ser o atual secretário da Fazenda, Paulo Câmara

Senador Armando Monteiro (PTB-PE) durante análise da proposta que autoriza a contratação de operação de crédito externo de até US$ 400 milhões para o estado de Pernambuco (MSC 125/2013)
Senador Armando Monteiro (PTB-PE) durante análise da proposta que autoriza a contratação de operação de crédito externo de até US$ 400 milhões para o estado de Pernambuco (MSC 125/2013) (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Pernambuco 247 - O senador e pré-candidato ao Governo do Estado de Pernambuco pelo PTB, Armando Monteiro Neto, rompeu o silêncio e comentou a formação da chapa escolhida pelo governador e presidenciável Eduardo Campos (PSB). “Você nomeia um secretário, mas não nomeia um governador. Governador quem elege é o povo”, disse Armando. A referência se deve ao fato do candidato indicado por Campos para disputar a sua sucessão ser o atual secretário da Fazenda, Paulo Câmara. Monteiro também afirmou estar trabalhando para atrair mais partidos para o seu palanque, além do PT.

As declarações de Armando foram feitas durante entrevista ao radialista Geraldo Freire, da Rádio Jornal AM. Questionado se via o secretário da Fazenda como um “novo poste” – referência ao atual prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), que foi conduzido á chefia do Executivo municipal graças ao governador nas eleições 2012 -, o senador afirmou que não, muito embora tenha feito a ressalva de que o voto popular é que define o governante. Você nomeia um secretário, mas não nomeia um governador. Governador quem elege é o povo”, afirmou.

Para o petebista, o objetivo imediato está na ampliação do leque de alianças visando o pleito de outubro. “Estamos construindo as alianças. O parceiro preferencial é o PT e isso tem caminhado bem. Esperamos que este processo se conclua em março. Temos recebido manifestações positivas de lideranças de partidos em Pernambuco. Tenho mantido contato com outros partidos para construir este entendimento e construir um leque expressivo de alianças para construir este projeto”, disse Armando.  Ele também assegurou que uma das prioridades é assegurar um palanque forte em torno da reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT).

Apesar dos contatos constantes entre o PTB e outras legendas do “mesmo campo, que são as que estão alinhadas com a Dilma em nível nacional”, Armando diz que não há razão para pressa no que diz respeito à política de alianças em torno da sua pré-candidatura. “Nunca é demais lembrar que as alianças só são formadas em junho, portanto tem muito ainda pra acontecer pela frente. Estamos tranquilos dentro deste calendário”, garantiu.  

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email