Wagner: 'Moro traçou plano para criminalizar a política'

"Houve um plano traçado pelo Moro, ele está quase chegando ao seu objetivo, que é criminalizar a política. Vocês já viram algo tão espetaculoso que durou tanto tempo?", indagou o ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, em entrevista coletiva nesta segunda-feira; ele chamou o juiz da Lava Jato de "rei da festa" e criticou também as investigações paralelas à Lava Jato contra o ex-presidente Lula, quem segundo ele "se tornou um troféu para a operação de Curitiba e para o Ministério Público de São Paulo"

"Houve um plano traçado pelo Moro, ele está quase chegando ao seu objetivo, que é criminalizar a política. Vocês já viram algo tão espetaculoso que durou tanto tempo?", indagou o ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, em entrevista coletiva nesta segunda-feira; ele chamou o juiz da Lava Jato de "rei da festa" e criticou também as investigações paralelas à Lava Jato contra o ex-presidente Lula, quem segundo ele "se tornou um troféu para a operação de Curitiba e para o Ministério Público de São Paulo"
"Houve um plano traçado pelo Moro, ele está quase chegando ao seu objetivo, que é criminalizar a política. Vocês já viram algo tão espetaculoso que durou tanto tempo?", indagou o ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, em entrevista coletiva nesta segunda-feira; ele chamou o juiz da Lava Jato de "rei da festa" e criticou também as investigações paralelas à Lava Jato contra o ex-presidente Lula, quem segundo ele "se tornou um troféu para a operação de Curitiba e para o Ministério Público de São Paulo" (Foto: Romulo Faro)

Bahia 247 - Em entrevista coletiva após reunião com a presidente Dilma Rousseff nesta segunda-feira (14), o ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, disse que o juiz federal de Curitiba Sérgio Moro, que comanda as investigações da Operação Lava Jato, "traçou um plano para criminalizar a política".

Wagner questionou o tempo de duração das investigações e classificou Moro de "rei da festa". "Houve um plano traçado pelo Moro, ele está quase chegando ao seu objetivo, que é criminalizar a política. Vocês já viram algo tão espetaculoso que durou tanto tempo?", indagou o ministro.

Ele criticou as investigações paralelas à Lava Jato contra o ex-presidente Lula, quem segundo ele, "se tornou um troféu para a operação de Curitiba e para o Ministério Público de São Paulo", que chegou a pedir sua prisão preventiva com denúncia contestada por importantes nomes do meio jurídico.

"Criou-se uma tese de que Lula é chefe de uma gangue, então se investigam pessoas, e não crimes. Quer dizer, não é uma coisa clara. Eu acho que tem gente babando sangue querendo provar (que o ex-presidente cometeu crimes) e ele virou o troféu para ver quem pega primeiro", disse Jaques Wagner.

Leia Mais:http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,moro-tracou-plano-de-criminalizacao-da-politica-e-foi-o-rei-das-manifestacoes--diz-wagner,10000021166
Assine o Estadão All Digital + Impresso todos os dias
Siga @Estadao no Twitter

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247