Wellington adia para junho a decisão sobre vice

O governador Wellington Dias já transferiu duas vezes a definição dos nomes que vão formar com ele a chapa majoritária; primeiro foi dezembro do ano passado, depois passou para depois do carnaval e agora o prazo foi esticado para junho; adiamentos ocorrem diante da necessidade de ajustes na composição da chapa proporcional e majoritária

Governador Wellington Dias (Foto:Jorge Henrique Bastos)
Governador Wellington Dias (Foto:Jorge Henrique Bastos) (Foto: Voney Malta)

Paulo Pincel/Piauí Hoje – Quem tem prazo, não tem pressa. Era para dezembro, mas ficou para depois para depois do carnaval. Agora é junho o prazo limite para que a base governista escale o time com o qual pretende conseguir a segunda reeleição do petista Wellington Dias - foram três vitórias em primeiro turno. As principais lideranças do MDB foram ao Palácio de Karnak na noite dessa quinta-feira (26) para uma conversa definitiva com o governador. Na pauta da audiência, a composição da chapas proporcional e majoritária que disputarão as eleições de 7 de outubro.

Presentes, o presidente do MDB no Piauí, deputado federal Marcelo Castro, deputados estaduais Themístocles Filho, João Mádison, Severo Eulálio, Liziê Coelho, Pablo Santos e Zé Santana, e suplentes de deputado estadual Mauro Tapety e Ismar Marques.

O MDB voltou a defender a formação de um “chapão” governista para disputa das 10 vagas na Câmara dos Deputados e das 30 na Assembleia Legislativa. O partido também insiste na indicação de Themístocles Filho, presidente da Assembleia Legislativa, como vice de Wellington Dias.

Marcelo Castro adiantou que Wellington Dias é simpático ao chapão, mas pediu prazo até junho para a resposta sobre o candidato a vice-governador.

“O partido há muito já tinha solicitado esse encontro. Foi muito amistoso. Não houve faca no pescoço. Pedimos que o governador converse com o PT e os demais partidos para a formação do chapão proporcional. Ele deu total apoio a nossa proposta. E disse que defende a mesma coisa”, revelou Marcelo.

Sobre o candidato a vice, Marcelo castro explicou que o MDB vai esperar junho chegar para saber qual a decisão do governador petista. “O governador tem tempo até junho e vai usar. É um direito dele e o MDB não pressiona. Ele vai usar alguns critérios e nós respeitamos. Pesquisas também podem ser usadas. Reforçamos o nome do deputado Themístocles e a importância de um partido do tamanho do MDB”, argumentou o presidente.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247