Wellington Dias: “Estão rasgando a Constituição”

Em evento em defesa da democracia e da candidatura do ex-presidente Lula, o governador do Piauí Wellington Dias (PT) diz que estão "rasgando a Constituição", num julgamento  polítoco para impedir Lula de ser candidato; " Fica cada vez mais latente para o povo que se tenta tirar o direito que é do povo a partir de artifício judicial de uma condenação sem provas para impedir que ele possa ser candidato à presidência", defende o governador

Em evento em defesa da democracia e da candidatura do ex-presidente Lula, o governador do Piauí Wellington Dias (PT) diz que estão "rasgando a Constituição", num julgamento  polítoco para impedir Lula de ser candidato; " Fica cada vez mais latente para o povo que se tenta tirar o direito que é do povo a partir de artifício judicial de uma condenação sem provas para impedir que ele possa ser candidato à presidência", defende o governador
Em evento em defesa da democracia e da candidatura do ex-presidente Lula, o governador do Piauí Wellington Dias (PT) diz que estão "rasgando a Constituição", num julgamento  polítoco para impedir Lula de ser candidato; " Fica cada vez mais latente para o povo que se tenta tirar o direito que é do povo a partir de artifício judicial de uma condenação sem provas para impedir que ele possa ser candidato à presidência", defende o governador (Foto: Charles Nisz)

Piauí 247 - O governador Wellington Dias (PT) participou na tarde desta segunda-feira (22) de ato em defesa do ex-presidente Lula na praça da Liberdade, no centro de Teresina. Em seu discurso, Dias disse que o TRF4 faz um "julgamento político" e que "estão rasgando a Constituição Federal". O ato contou com presença de petistas, militantes e simpatizantes pró-Lula.  O governador irá acompanhar o julgamento ao lado do ex-presidente durante ato programado para a próxima quarta-feira (24) em São Paulo, na companhia de outros governadores. 

A pergunta que se faz é: É um julgamento com base na lei, ou é um julgamento político? Ainda mais agora que o presidente pediu para comparecer para ele próprio se defender e aí foi negado. Então fica cada vez mais latente para o povo que se tenta tirar o direito que é do povo a partir de artifício judicial de uma condenação sem provas para impedir que ele possa ser candidato à presidência", defende o governador.

Dias lembrou que o STF, desde o ano de 2016, não coloca em pauta de julgamento o processo de defesa da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). "Eu mesmo respondo: porque não há nenhum crime praticado por essa mulher. Veja só a decisão que tomaram seria dos crimes mais graves na administração pública, o de responsabilidade, porém  confessam que não houve crime quando dizem 'mas ela permanece com os seus direitos políticos', 'ela pode exercer cargo público', 'pode ser candidata', onde está escrito essa lei? Que alguém pode ser condenado e isso pode acontecer? Em lugar nenhum, disse.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247