Wellington Dias sobre candidatura à Presidência: seria uma honra

Citado pelo ex-presidente nacional do PT, Rui Falcão, como alternativa do partido no caso do impedimento do ex-presidente Lula de concorrer à Presidência da República, o governador Wellington Dias disse que é uma honra ter o nome lembrado, mas que “o plano A, o plano B... é o plano L, de Lula”; questionado se aceitaria ser o substituto de Lula num eventual impedimento do ex-presidente, Wellington Dias afirmou que seria uma honra muito grande ser o nome do PT na disputa

Citado pelo ex-presidente nacional do PT, Rui Falcão, como alternativa do partido no caso do impedimento do ex-presidente Lula de concorrer à Presidência da República, o governador Wellington Dias disse que é uma honra ter o nome lembrado, mas que “o plano A, o plano B... é o plano L, de Lula”; questionado se aceitaria ser o substituto de Lula num eventual impedimento do ex-presidente, Wellington Dias afirmou que seria uma honra muito grande ser o nome do PT na disputa
Citado pelo ex-presidente nacional do PT, Rui Falcão, como alternativa do partido no caso do impedimento do ex-presidente Lula de concorrer à Presidência da República, o governador Wellington Dias disse que é uma honra ter o nome lembrado, mas que “o plano A, o plano B... é o plano L, de Lula”; questionado se aceitaria ser o substituto de Lula num eventual impedimento do ex-presidente, Wellington Dias afirmou que seria uma honra muito grande ser o nome do PT na disputa (Foto: Leonardo Lucena)

Piauí Hoje - Citado pelo ex-presidente nacional do PT, Rui Falcão, como alternativa do partido no caso do impedimento do ex-presidente Lula de concorrer à Presidência da República, o governador Wellington Dias disse que é uma honra ter o nome lembrado, mas que o Plano, A, B,C... é o plano L, de Lula.

“Eu tenho dito que o plano A, o plano B... é o plano L, de Lula, e não apenas por uma paixão, por ser do partido dele, mas eu acho que o país precisa hoje de um líder capaz de articular, de unir o Brasil, de reduzir essa política de ódio, de separatista que temos hoje no Brasil, porque nós temos um apartheid hoje que vai muito além dos partidos, precisa de alguém que tenha a capacidade de olhar para o Brasil inteiro, inclusive colocando o estado brasileiro com o compromisso maior com os que mais precisam”, justificou o governador, durante a abertura do Salão do Livro do Piauí, ontem (5) à noite, no Complexo Cultural Rosa dos Ventos, no Campus Petrônio Portela, da Universidade Federal do Piauí.

Wellington Dias lembra que o ex-presidente Lula não cometeu nenhum crime e, portanto, tem todas as condições de disputar e vencer as eleições. “Eu que acompanho, conheço, ele é uma pessoa completamente desapegada a bens materiais, mora no mesmo lugar onde sempre morou, vive com a mesma rotina de vida que ele viveu sempre, os mesmos amigos, enfim é alguém que com certeza merece respeito e me doi muito ver alguém que praticamente doou a sua própria vida, se dedicou ao Brasil passar pelo que ele está passando, um verdadeiro massacre por uma disputa de poder”, lamentou.

Questionado se aceitaria ser o substituto de Lula num eventual impedimento do ex-presidente, Wellington Dias afirmou que seria uma honra muito grande ser o nome do PT na disputa. “Ainda mais vindo do meu presidente – referindo-se ao ex-presidente do PT, Rui Falcão - uma pessoa que teve papel importantíssimo na história do Brasil como presidente nacional de um dos partidos que é um dos maiores no Brasil e no mundo”, destacou.

“Graças a Deus – prosseguiu o governador - o ex-presidente Lula tem todas as condições, e eu acho que o Brasil não vai aceitar um segundo golpe, nós já tivemos situação em que se tirou do poder sem provas, uma pessoa honesta - referindo-se a Dilma Rousseff. Entendo e compreendo que nós temos que encontrar um caminho para o Brasil, acho que Lula é uma das pessoas, na minha opinião, mais preparada para essa missão até pela experiência de presidente que vivenciou com sucesso que teve”, avalia.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247