Wellington: morte de Emile foi um crime injustificável

O governador do Piauí, Wellington Dias pela primeira vez sobre o assassinato da menina Emile Costa, morta durante uma abordagem policial na noite de Natal na Avenida XXIII, em Teresina; Wellington Dias também destacou as providências que o Governo do Estado adotou em relação às liminares que garantem o ingresso de candidatos reprovados em concursos públicos; "Ele [soldado Aldo Dornel, suspeito do homicídio] foi reprovado no concurso, na prova de psicotécnico, que é mais importante, que é a análise do ponto de vista psicológico da capacidade de alguém. Quero dizer que o Estado vai adotar todas as medidas necessárias para tratar como crime,um crime que não se justifica"

O governador do Piauí, Wellington Dias pela primeira vez sobre o assassinato da menina Emile Costa, morta durante uma abordagem policial na noite de Natal na Avenida XXIII, em Teresina; Wellington Dias também destacou as providências que o Governo do Estado adotou em relação às liminares que garantem o ingresso de candidatos reprovados em concursos públicos; "Ele [soldado Aldo Dornel, suspeito do homicídio] foi reprovado no concurso, na prova de psicotécnico, que é mais importante, que é a análise do ponto de vista psicológico da capacidade de alguém. Quero dizer que o Estado vai adotar todas as medidas necessárias para tratar como crime,um crime que não se justifica"
O governador do Piauí, Wellington Dias pela primeira vez sobre o assassinato da menina Emile Costa, morta durante uma abordagem policial na noite de Natal na Avenida XXIII, em Teresina; Wellington Dias também destacou as providências que o Governo do Estado adotou em relação às liminares que garantem o ingresso de candidatos reprovados em concursos públicos; "Ele [soldado Aldo Dornel, suspeito do homicídio] foi reprovado no concurso, na prova de psicotécnico, que é mais importante, que é a análise do ponto de vista psicológico da capacidade de alguém. Quero dizer que o Estado vai adotar todas as medidas necessárias para tratar como crime,um crime que não se justifica" (Foto: Leonardo Lucena)

No Piauí Hoje - O governador do Piauí, Wellington Dias, falou nesta quinta-feira (28) pela primeira vez sobre o assassinato da menina Emile Costa, morta durante uma abordagem policial na noite de Natal (25/12), na Avenida XXIII, em Teresina.

Wellington Dias também destacou as providências que o Governo do Estado adotou em relação às liminares que garantem o ingresso de candidatos reprovados em concursos públicos.

"Ele [soldado Aldo Dornel, suspeito do homicídio] foi reprovado no concurso, na prova de psicotécnico, que é mais importante, que é a análise do ponto de vista psicológico da capacidade de alguém. Quero dizer que o Estado vai adotar todas as medidas necessárias para tratar como crime,um crime que não se justifica", assegurou o governador.

Wellington Dias se reuniu com a autoridades do Judiciário, junto com o comandante-geral da Polícia Militar, e o secretário de Segurança Pública, Fábio Abreu, para tentar evitar que liminares sejam expedidas recolocando pessoas reprovadas em concurso nos quadros das polícias.

"Mais do que isso. Graças a Deus tivemos um bom entendimento junto com comando da Polícia Militar, do secretário de Segurança, do Judiciário. Graças a Deus houve várias decisões para evitar que coloquem para dentro do concurso quem foi eliminado tecnicamente por questões psicológicas. O que nós estamos falando é de alguém que é autorizado a portar uma arma. E por isso o cuidado deve ser redobrado mais do que qualquer servidor", defende.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247